terça-feira, 29 de março de 2016

Saudade , Saudade , Saudade . . .

Porque um dia Deus chega e leva da gente aqueles que amamos é que devemos ser gratos pelo tempo que tivemos para amá-los. Porque hoje na minha vida só tem espaço para a dor, eu escrevo...

Aquela saudade doída, doida, dilacerante, psicodélica, exotérica e anormal vai tomando conta do peito da gente e sufocando, sufocando até faltar o ar... essa saudade que me faz chorar e chorar e chorar porque eu sei que nunca mais vou te ver, te abraçar, pegar nas suas mãos para ajudá-lo a caminhar... Saudade dos cabelos brancos e dos olhos azuis, da fala mansa e das tiradas certeiras que me faziam rir.

Dos 'causos' tantas vezes repetidos que marcaram minha infância e acompanham minha vida, até o dia em que eu irei te encontrar novamente e te encher de beijos, deitar no seu colo e te chamar de pai. Porque hoje meu coração é só tristeza e viver sem você está muito difícil, eu quero deixar aqui registrado que eu não sabia do tamanho do meu amor por você, seu Antônio. 

Hoje faz um mês... Nossa selfie de outubro de 2015...