terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O Ano Novo

Deixa ir! Não olhe para trás... Hoje já é passado. Amanhã começa tudo de novo!


O Ano Novo nada mais é do que o início de um novo calendário. Salvo se eu ganhar na mega-sena da virada, tudo vai continuar do mesmo jeito. Aliás, vou ficar mais velha, provavelmente mais chata, menos paciente. Reclamarei do vento, da chuva, do frio, do calor. Visitarei vários médicos, farei muitos exames. Talvez ganhe mais amigos ou, por contradição e calejamento das relações desgastadas, eu perca alguns. Não, eu não estou vibrando porque um novo ano vai chegar. Não comerei lentilhas, nem jogarei oferendas à Iemanjá. Eu vou rezar para ter saúde e paz! Nada vai mudar muito a partir do dia primeiro...

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Beto . . . Beto ! ! !

Eu gostaria de terminar o ano postando a foto de uma grande pessoa. Meu companheiro, meu namorado, meu amigo e tão recluso, Beto. Ao lado dele já são 28 anos de caminhada. Beto é reservado, não gosta de se expor. Mas hoje eu vou quebrar a regra por uma causa justa. A você que esteve do meu lado nos bons e maus momentos, o meu muito obrigada marido, obrigada pai dos meus filhos. ♫ Nós fomos feitos um pro outro, pode crer ♫


quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Natal 2014

Neste Natal não teve lareira, mas teve calor humano, teve abraço, presença, mesa farta e oração. Teve amigos desejando "Boas Festas" de perto e de longe, aperto de mão. Pelo laptop, smartphone, whatsapp e ligação. Eu sei é que estou feliz e agradeço cada carinho virtual, pessoal e de coração!


domingo, 14 de dezembro de 2014

Tu te tornas . . .


Tu te tornas eternamente responsável pelas tuas tralhas afetivas, pelo último gole, segundo gole, segundo porre, ralado no joelho, esfolado no coração, um tiquinho de sensatez, todas as despedidas, tamanho do pódio e dimensão da queda, desculpas esfarrapadas e saudade desgastada.

Ita Portugal

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Feng-Shui Interior


Gente. Não adianta. Você pode varrer a sujeira pra debaixo do tapete. Você pode embolar tudo e fechar o armário. Mas peraí. Você vai aguentar a bagunça da sua vida até quando? Você vai fingir que está tudo em ordem pra quê? Pra inglês ver? Ah, dá um tempo. Eu não sou inglesa. Eu não vou abrir a porta e ver você se desmoronar. Por isso, um conselho: limpa sua sujeira. Limpa suas feridas. Limpa sua alma. Faz uma faxina nesse coração. E - preste atenção - faz isso logo. Porque dá rato.

Fernanda Mello

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Na Paz

Ai, Dezembro! Não me surpreenda, não... Chegue de mansinho, vai de fininho sem muita alteração. Leve e suave. Na paz!


domingo, 23 de novembro de 2014

Cruzeiro , Cruzeiro Querido - É Tetra ! ! !

♫ Nós somos Cruzeiro, tetracampeão
  brasileiro... Nada mais interessa, 
 nós estamos em festa ♫



♫ Nós somos loucos, somos Cruzeiro  
Dizem que somos loucos da cabeça 
Amamos o Cruzeiro é o que interessa 
O mundo todo teme a Bestia Negra 
Seremos campeões e não se esqueça ♫

Vi esse time maravilhoso ser campeão em 2003, 2013 e 2014! Ganhou o primeiro título quando a CBF, em 2010, oficializou a Taça Brasil como sendo equivalente ao atual campeonato brasileiro. O titulo foi disputado em 1966 contra o Santos. A Esquadra Azurra ganhou o torneio e tornou-se campeão pela primeira vez. De lá pra cá é um time que só dá alegria aos seus torcedores! 

Hoje, debaixo de chuva intensa, jogando contra o Goiás, o Cruzeiro, mais uma vez, venceu, convenceu e levou o Caneco! Fora o show, nós cruzeirenses, temos que admitir o talento coletivo desta equipe competente, comandada pelo maestro Marcelo Oliveira! Pude assistir a uma partida, no mês de outubro, e fiquei muito emocionada. É indescritível a sensação de estar tão perto destes atletas fabulosos, dedicados e vitoriosos!

Jamais me esquecerei de Marcelo Moreno - o jogador mais bonito do Brasil -, do William - o moço do bigode grosso -, Lucas Silva - o garoto, Éverton Ribeiro - o craque, Júlio Batista e Nilton - gigantes da defesa... Também Dagoberto, Tinga, Egídio e tantos outros que vestiram a camisa azul-celeste para dar mais esta vitória aos seus torcedores!

Não é treta! É teeeetra!!!

Adoro!!!

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Tim Maia - O Filme


Tim Maia, o filme. Assisti e me emocionei à beça! A obra cinematográfica conta, de forma didática, o início e o fim da carreira deste monstro da música nacional brasileira! O didatismo propõe um entendimento de onde, como e quando Sebastião Rodrigues Maia, um carioca tijucano, teve seu apogeu e queda no cenário artístico nacional. Desde seu nascimento em uma família pobre, de pai branco e mãe negra, estudante de colégio de padres, vendedor de marmita - Tião Marmita, seu primeiro apelido -  até a formação da primeira banda - The Sputniks, que contava com ninguém mais, ninguém menos que Roberto Carlos, um desconhecido naquela época. 

Tim Maia não foi um artista qualquer - ele foi um grande gênio da Soul Music! Tim poderia ter tido uma história diferente não fosse o seu gênio indomável. Começou sua carreira junto com Roberto e Erasmo, eram amigos de adolescência. Mas sua indisciplina e inquietude fizeram-no tomar um rumo diferente dos parceiros da juventude. Tim não cabia dentro de si. Ele precisava explorar o mundo, provar de todas as dores, viver todos os perigos. Ele ia de zero a cem em um segundo. Ora engraçado ora sarcástico e até mesmo violento, o Síndico - como Jorge Benjor o eternizou - era, apesar de tudo, um homem muito sensível. 

As letras de suas músicas estão aí para provar sua sensibilidade. Com toda aquela "caixa acústica" ambulante, Tim compôs suaves melodias: "Azul da cor do mar"; "Eu amo você"; "Primavera"; "Gostava tanto de você" e tantas outras que não escreveu, mas eternizou: "Me dê motivo" e "Um dia de domingo". E de grande sensibilidade foram também as interpretações dos dois atores escolhidos para representá-lo. Na primeira fase, Robson Numes e, na segunda, Babu Santana - perfeito, tal e qual Tim Maia. Assustador! Mérito destes dois para o sucesso que é o filme!

Assistir no cinema o que foi a vida e a obra do Tim Maia me revelou fatos dos quais eu não tinha conhecimento, como por exemplo, ele ter tido apenas um filho biológico - o Carmelo, meio-irmão de Leo Maia, adotado informalmente por Tim. Leo era filho de sua mulher Geisa (no filme, Janaína) e de um jogador de futebol.  Não, o filme não dá esses detalhes. Eu li a biografia do Tim e fiquei sabendo também que ele, ainda muito jovem, teve um filho que somente veio a saber da existência depois do menino ficar adulto.  O rapaz nascido em 1966, o mais velho então, veio a falecer no ano de 2002. Tim Maia não chegou a reconhecer legalmente o moço, mas conviveu com ele pacificamente. 

Procurei saber a respeito da jovem que requereu a paternidade, através do exame de DNA, em 2011. Foi provado que a moça não é filha do saudoso e querido cantor. Entretanto, ela diz se sentir filha do Tim Maia. Isso o filme não abordou. Na verdade, o filme é bastante denso, ora engraçado, às vezes, emotivo. Como disse Nelson Motta, seu biógrafo, falar de Tim Maia não é chapa branca, é tarja preta. E quem um dia teve o privilégio de ver e ouvir esse fenômeno da nossa música, não perca a oportunidade de assistir a sua história no cinema. Você vai se emocionar. Vai esperar acabar os créditos só para cantar a música. Vai querer que tudo tivesse sido diferente e, quem sabe, talvez ele ainda fosse vivo... Tim Maia vive em suas canções inesquecíveis. Saudades...

Ouça a música "Você"

Sou feliz agora... Não, não vá embora
Vou morrer de saudade!

domingo, 16 de novembro de 2014

Passageiros

Minha mãe sempre diz: não há dor que dure para sempre! Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos.

Chico Buarque


sábado, 15 de novembro de 2014

Eleição 2014 - A Ressaca


Vários dias após a eleição do século, ainda vejo resquícios do que foi este tumultuado pleito para elegermos o presidente do Brasil. "Nunca antes na história deste país" viu-se tanto ódio entre os eleitores. O país ficou dividido entre aqueles que acreditam ser o PT a maior chaga do povo brasileiro, representado por Dilma Rousseff, e entre aqueles que viam em Aécio, do PSDB, o salvador da pátria! Algumas amizades foram rompidas. Como num raio x, as personalidades foram reveladas a partir da ideologia política de cada um. Nas redes sociais, o caldo ferveu e entornou.

Virou guerrinha pessoal. Cada um queria mostrar que estava certo - o seu (ou a sua) candidato/a era o/a melhor. Poucas pessoas se preocuparam em mostrar aquilo que o seu escolhido tinha de bom para merecer seu voto. Ao contrário, apegaram-se nos erros alheios para fundamentar suas escolhas. E por aí vimos um bangue-bangue virtual jamais acontecido antes. Vinham tiros de todos os lados. Para os psdbistas, o PT era o partido dos pobres, analfabetos, vagabundos, petralhas, mensaleiros, bolivarianos, comunistas e etc. Para os petistas, o PSDB era o partido dos coxinhas, mauricinhos, ricos, estudados, direitistas,  classe média alta. 

A turma do Aécio jogava pedra nos projetos sociais. O bolsa-família era bolsa-esmola, bolsa-preguiça, turma de vagabas, e coisas do gênero. Para a turma da Dilma, Marina e Aécio seriam o retrocesso, a volta das privatizações, o estancamento da redistribuição de renda, o fim dos benefícios, blablablá... Até que, em um dos debates, Aécio Neves, mineiro como eu, de Belo Horizonte, como eu, decidiu chamar para si a paternidade do bolsa-família. Logo o bolsa-família, execrado por seus eleitores. Sem saberem como funciona o programa, berravam - postando - suas indignações sobre aqueles pobres que recebiam sem trabalhar. 

Acho que pouca gente sabe que a alíquota destinada ao Bolsa-Família equivale a 0,05% do PIB nacional. Isso é muito pouco. A corrupção surrupia muito mais recursos para os bolsos dos endinheirados políticos safados, que não pensam duas vezes antes de superfaturarem obras e levarem para si quantias astronômicas. Será que você se lembra de qual deputado e senador votou? E que o Congresso é mais sujo do que o rio Tietê? Não, né! O que mais me espanta é não entender como algumas pessoas criticam o Bolsa-Família (0,05%) e ao mesmo tempo nem ligam de doar 10% dos seus ganhos para enriquecer pastores. Não entra na minha cabeça. Quer dizer que o pastor pode receber o bolsa-dízimo, ficar cada dia mais rico ( o Silas Mala-Faia está entre os mais ricos do Brasil), ter concessão de rádio e TV sem problemas. Mas aquele cabra nordestino, que comia calango, rato, bebia água de cactos não pode receber o "bolsa-esmola"? 

O que é isso, minha gente? Que pensamento burguês é esse? De onde saíram tantos eleitores odiosos? Qual o motivo real da xenofobia contra os nortistas e nordestinos, sendo que foi Minas Gerais e Rio de Janeiro que decidiram a eleição a favor da Dilma? O Brasil ainda é um país de pobres - como disse minha mãe em resposta à pergunta do dentista dela - um pequeno burguês eleitor de Aécio. Aliás, a turma da medicina se mobilizou como nunca. Nem mesmo para exigir melhores condições de trabalho, a categoria se fechou tanto em torno de um propósito - eleger Aécio. Seria recalque pelo programa Mais Médicos? Hum... Quem saberá! 

Mas não pense que a eleição se dividiu entre ricos e pobres, não. Eu vi muita gente de baixa renda declarando voto no Aécio. Muita gente meeeesmo! E vi poucos, muito poucos ricos fazendo o mesmo com Dilma. A propósito, pior do que ouvir frases machistas de homens a respeito da figura da presidente, foi ter que ouvir as mesmas frases vindo da boca de mulheres! Coisa mais deprimente é mulher machista! Xingaram a Dilma de gorda, de feia, de dentuça. Chamaram a Dilma de tudo quanto é nome que me envergonho de reproduzir aqui. Logo ela, uma mulher forte, de fibra. Ela é uma mulher honesta. Se não é, me provem. Provar - com dados e fatos. Em qual governo um presidente não mandou engavetar os processos de corrupção? No governo da Dilma. Os mensaleiros foram presos. Ela não foi conivente com pessoas do seu próprio partido - sangrou a própria carne. Ah, mas isso a turma do aeroporto de Cláudio não leva em consideração.

O Aécio é um cara bem apessoado, né! Bonitão, articulado, boa oratória.... Mas cínico até mandar parar. Aécio perdeu a eleição não foi porque Dilma era mais brilhante, mais bonita, mais querida. O pior inimigo de Aécio foi ele mesmo - debochado, irônico, desrespeitoso com Dilma nos debates - colocando o dedo em riste para ela e chamando-a de leviana. Aécio cantou vitória antes do tempo, disse que já estava eleito, que o povo queria mudança (mas ele ia continuar com o bolsa-família...). Aécio calçou um Louboutin e saiu desfilando no seu carro alegórico e patético do "já ganhei, já ganhei, sou lindo, rico e famoso". Aécio caiu do salto e caiu do cavalo. 

Eu desejo, apesar de toda essa podridão vista nesta campanha horrorosa, que tanto Dilma quanto Aécio cumpram bem o seu papel - a primeira de líder suprema da nação, que vai combater a corrupção, melhorar a economia, a educação, a segurança... Uma presidenta tem que fazer valer a frase da bandeira - Ordem e Progresso. Quanto ao Aécio, que ele faça uma oposição digna, sem baixarias. Que ele olhe para o povo de Minas, o estado que ele abandonou para ir morar no Rio, um estado que também não o elegeu. Aécio precisa se autoconhecer! Precisa ser mais humilde! O povo  pode até votar, mas não elege político soberbo!  


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Manoel de Barros

Sou livre para o silêncio das formas e das cores


A maior riqueza do homem
é a sua incompletude
Nesse ponto sou abastado
Palavras que me aceitam como sou - eu não aceito

Não aguento ser apenas um sujeito que abre portas, 
que puxa válvulas, que olha o relógio, 
que compra pão às 6 horas da tarde,
que vai lá fora, que aponta lápis, 
que vê a uva etc etc

Perdoai
Mas eu preciso ser Outros
Eu penso renovar o homem usando borboletas...


Manoel de Barros
* 19.12.1916
* 13.11.2014

sábado, 25 de outubro de 2014

Sobre o Tempo


Os homens trocam as famílias
As filhas, filhas de suas filhas
E tudo aquilo que não podem entender
Os homens criam os seus filhos
Verdadeiros ou adotivos
Criam coisas que não deviam conceber

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover
Se mover, ê ê, ê ê...

O passado está escrito
Nas colunas de um edifício
Ou na geleira
Onde um mamute foi morrer

O tempo engana aqueles que pensam
Que sabem demais
Que juram que pensam
E existem também
Aqueles que juram sem saber

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover
Se mover....

Nenhum de Nós
Ouça

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Eleições - Reta Final


Estamos a cinco dias da eleição e vou deixar meu último parecer sobre o assunto. Depois de Marina ter caído em desvantagem e Aécio ter ido para o segundo turno, ele esteve com a faca e o queijo nas mãos. Achei que Dilma estava liquidada (não estou falando de PT). Jovem, bonitão, articulado, de boa oratória, ideal de família perfeita, todos os predicados dos sonhos de muitos eleitores.

Todavia, Aécio administra mal a sua ampla vantagem apresentada após o pleito. Ele já dá a vitória como certa; faz caras e bocas durante os debates, numa demonstração de deboche e superioridade; usa a Petrobras como principal argumento para derrubar o atual governo, sendo que a Petrobras nunca esteve tão bem e dando lucros astronômicos (fonte segura). A corrupção na estatal está sendo investigada e serão punidos todos os corruptos, os ladrões estão presos, assim como foram os acusados do mensalão. Ainda bem que foram presos, isto significa que não está havendo conivência da Dilma e a justiça está sendo feita.

Estou vendo acontecer com Aécio o mesmo que aconteceu com Marina. Lançada ao primeiro lugar nas intenções de votos, sofreu uma derrocada inesperada. Muito por conta de sua insegurança nas propostas e também pelas alianças e apoios com fundamentalistas religiosos e a direita conservadora. Estes mesmos aliados de Marina, agora estão com Aécio, e ele começa a cair nas pesquisas. Aécio disse que é o pai do Bolsa-Família, programa execrado por seus eleitores, que o chama de bolsa-esmola, bolsa-vagabundo e por aí vai. Aécio disse que vai continuar com o Bolsa-Família e melhorá-lo. Então, qual é o sentido da mudança? Que mudança? E quem é contra o programa de distribuição de renda, como faz?

Não estou numa guerrinha pessoal contra ninguém da minha família, nem com amigos, colegas ou desconhecidos que regurgitam seus preconceitos contra pobres e nordestinos nesta campanha lamentavelmente baixa. Estou a favor do Brasil e seja qual for o resultado, a vida vai continuar sendo difícil para a maioria dos brasileiros. Ninguém disse que está fácil, mas que está melhor do que antes, está sim. De tudo que vi e li nesta eleição, levarei comigo um aprendizado - quem bate muito, costuma apanhar no final. Dilma ou Aécio - que vença o melhor. Que seja a vitória da Democracia.


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Dilma


Caríssima Presidente! Pode ser que você perca a eleição. Até acho que perderá, pelo que tenho lido, ouvido e visto. Mas, sabe, às vezes quando a gente perde a gente ganha. De tempos em tempos a sociedade escolhe um bode expiatório para purgar seus pecados numa linha transversa de covardia pessoal. Já vi te chamarem de gorda, de dentuça, de sapatão, de desonesta, de corrupta, de demônio e um rosário sem fim de adjetivos baixos. Eu acredito que estas pessoas devam ter um padrão Angelina Jolie de beleza estética. Porque falar de beleza interna, educação, classe e elegância está impossível. Sabe, Dilma, eu já estou torcendo para que você seja derrotada nas urnas. Porque ninguém merece, por cargo nenhum, passar pelo o que você está passando. Deixemos os ventos da "mudança" refrescar o desejo da maioria que anseia por ela. Peçamos piedade para "muita gente careta e covarde". Por último quero dizer que me solidarizo com sua luta pessoal e que, após o mal-estar do último debate, a senhora restabeleça a sua saúde. Eu me solidarizo com você! (Uma carta ilusória de uma eleitora qualquer)...

Christiane Bianchi

sábado, 4 de outubro de 2014

Mãe Início e Fim


Certa vez eu li e gostei desse pensamento: "Quem tem mãe tem todos os parentes." E é verdade, a mãe vem a ser o centro e o ápice. É a síntese de todo esse universo chamado família. A rigor, ela é a única que caracteriza o sentido de união dentro de uma casa. É quem gera, alimenta e ama. É quem reúne, santifica e eleva. É ela que se lembra de todos, esquecendo-se de si mesma. É aquele ponto de encontro necessário entre Deus e os homens, que se chama - Amor! Portanto, venere sua mãe, onde ela estiver.

Deste Blog

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Cinco Palavras Para Tirar Do Dicionário


1) Imperdoável

SEMPRE é possível perdoar, tanto os erros dos outros quanto os nossos próprios (o segundo, aliás, é um dos perdões mais difíceis e também mais importantes de se conseguir). Esqueça a regra do imperdoável, principalmente se há outra pessoa tentando te convencer que algo não pode ser perdoado. As pessoas erram, se arrependem verdadeiramente e precisam de segundas chances.

Os fracos nunca perdoam. O perdão é uma virtude dos fortes. – Mahatma Gandhi

2) Impossível

Quem determina que algo é impossível? Alguém já te deu provas concretas de que uma coisa não tinha nenhuma (nenhuma!) chance de acontecer? Quem dá a palavra final sobre o que é ou não é possível na sua vida é você! Se acredita que algo é possível, ou se acredita que não é, nos dois casos você está certo. Abandone a ideia de impossibilidade e lembre-se que todo ser humano é capaz de criar, transpassar limites e fazer acontecer. Você pode. O impossível só existe se você quiser.

3) Fracasso

Seja quando for falar de si mesmo ou da situação de outra pessoa, entenda: nada é um fracasso na vida, porque de tudo se leva algo para ser melhor amanhã. Ver uma situação como total fracasso, ou pior, enxergar-se como um fracassado, é uma das piores maneiras de se machucar profundamente. Não faça isso com você mesmo. Decepções existem para nos fazer crescer, e não para nos derrubar. Tudo bem sentir-se triste após uma decepção, mas não deixe que isso te faça esquecer as coisas boas que você tem e é.

4) Controle

Por mais que a gente se esforce para tomar as rédeas da vida e tenha um objetivo ou sonho pelo qual batalhamos, é preciso lembrar que a vida é movimento, é o inesperado e, por isso, ela nos traz surpresas. Queira sim ser o direcionador dos seus passos, mas lembre-se que ninguém pode controlar tudo. A qualquer momento tudo pode mudar e o que fará a diferença não é o que acontece, mas a sua atitude diante do acontecimento. Ter esta consciência fará você lidar melhor com os percalços, surpresas e mudanças que a vida traz. Portanto, foque em seus sonhos e objetivos, mas esqueça a ideia de que é possível ter total controle. Relaxe!

5) Inaceitável

Uma palavra que precisa ser repensada, principalmente quando usamos para dizer algo sobre nós mesmos ou sobre nossa situação atual. Se algo está acontecendo, não vai deixar de acontecer apenas porque você não aceita as coisas como estão. Dizer que algo é inaceitável não muda nada, apenas te coloca em posição de combate e faz com que você trave uma luta contra si mesmo ou contra sua vida. Pode parecer contraditório à primeira vista, mas a aceitação é o primeiro passo para a mudança. Quando aceita o que tem agora, você encerra a batalha que só servia para fazer com que se sentisse mal (e que acabava te levando para o lado errado) e coloca-se em um lugar pacífico, onde você terá disposição e clareza para agir e mudar.


Do blog Desassossegada

sábado, 20 de setembro de 2014

Deus, eu Lhe peço . . .



Livrai-me das dores evitáveis.

Livrai-me das decisões equivocadas.

Livrai-me dos amigos mal intencionados.

Livrai-me da falta de saúde emocional.

Livrai-me da falta de gentileza.

Livrai-me da falta de escrúpulo.

Livrai-me da falta de mim.

Amém!


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

E q u I L i B r I o


Atingir o equilíbrio pessoal é um processo que demora muito tempo para ser alcançado. Ele vem com a maturidade, com as vivências positivas e negativas, com as decepções e frustrações, que todos tem, em função dos fracassos na vida profissional, no amor e principalmente e nas relações pessoais. 

Por incrível que pareça são as decepções que mais deixam lições importantes para o amadurecimento e a conquista do equilíbrio pessoal.  Muitas vezes a entrega é total, sem limites, assustando a quem não entende que o objetivo é fazer feliz e não comandar a sua vida.

Os sentimentos negativos que todos sentem em determinados momentos é fruto da insegurança, do desejo de comandar, da sensação de que é onipotente, que tudo pode e que todos precisam seguir. Esquecem que todos tem a sua verdade e que ela precisa ser respeita.

Desconhecem o meio termo, o ponto de equilíbrio.  Querem sempre mandar, mostrar que sabem tudo e que os outros só serão felizes se seguirem os seus conselhos. Esquecem que ter equilíbrio é exatamente o contrário, isto é respeitar o outro, ouvir a sua verdade, modificar sua atitude, aprender com o outro e principalmente reconhecer que precisa repensar as suas posições e atitudes frente a vida.

É comum encontrar pessoas que perdem a paciência ou mesmo o controle por qualquer contrariedade ou mesmo por uma colocação infeliz de um subordinado ou de um amigo ou familiar. Explodem com muita facilidade usando a sua autoridade para não ser contrariado. Isto revela um desequilíbrio que precisa ser examinado por profissionais capacitados, pois tudo que sai da normalidade entra no campo da doença mental.

Para conquistar um equilíbrio pessoal examine as seguintes questões:
1 – Aprenda a ouvir, sem interromper o seu interlocutor.
2 – Não contrarie, pois esta é a verdade dele.
3 – Diga a sua verdade, sem precisar discordar do outro.
4 – Mantenha o controle em qualquer situação.
5 – Não aceite a provocação do outro. O problema está com ele e não com você.
6 – Só dê conselhos se alguém pedir.
7 – Viva a sua vida e deixe os outros viverem a deles.
8 – Não interfira na vida dos outros, pois eles não vão gostar.
9 – Se achar que sabe tudo e pode resolver os problemas dos outros, é você que está mal.
10 – A fé e o amor trazem equilíbrio. O rancor e a incapacidade de perdoar perturbam a vida.

É importante saber que o equilíbrio está ligado a conquista de uma vida organizada, com controle sobre as finanças, com respeito aos demais, com capacidade para ouvir e aceitar as colocações dos demais e principalmente deixando os outros viverem a sua maneira, sem achar que pode mudar ou interferir em suas trajetórias de vida.

Ter equilíbrio é entender que, mesmo sofrendo as pessoas precisam ter as suas vivências, pois elas só atingirão a maturidade se passarem por estes problemas e conseguirem sair deles pela sua vontade própria. Mostre o caminho quando sentir que precisa ajudar ou quando for solicitado, mas não assuma o problema dos outros. 

Ter equilíbrio é uma conquista pessoal, que cada um deve lutar para alcançar, viando conseguir ter paz interior.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Um Jeito de Ser


Eu não sou devagar. Eu apenas caminho com mais paciência. Eu olho os detalhes, me distraio com o singelo, troco o material pela fantasia dos sonhos! Ouço cada pedacinho de vida, saboreio estrela por estrela e acaricio o vento quando ando de carro. Observo os gestos e os olhares, eu escrevo sobre isso. Eu desenho o que tem dentro! Eu não sou devagar, é que a vida é pura sinestesia. Não sentir é puro desperdício!


Desconheço a autoria

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Uma Citação Qualquer

"Não sei pisar em ninguém, mas sei ser feliz. E isso já basta para muitos serem esmagados."


Li por aí

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Hope of Deliverance

Há cantores que admiro, outros, adoro! Há músicas lindas que gosto, outras, amo! 


I Will Always Be Hoping, Hoping. 
Eu estarei sempre esperando, esperando
You Will Always Be Holding, Holding 
Você estará sempre segurando, segurando
My Heart In Your Hand. I Will Understand. 
Meu coração em suas mãos, eu vou entender

I Will Understand Someday, One Day. 
Eu vou entender algum dia, um dia.
You Will Understand Always, 
Você entenderá sempre, sempre
Always From Now Until Then. 
De agora em diante

When It Will Be Right, I Don't Know. 
Quando será certo, eu não sei
What It Will Be Like, I Don't Know. 
Como será, eu não sei
We Live In Hope Of Deliverance
Nós vivemos na esperança da libertação
From The Darkness That Surrounds Us. 
da escuridão que nos cerca

Hope Of Deliverance,
Esperança da libertação,
Hope Of Deliverance. 
esperança da libertação
Hope Of Deliverance
esperança da libertação
From The Darkness That Surrounds Us. 
da escuridão que nos cerca

And I Wouldn't Mind Knowing, Knowing 
E eu não me importaria saber, saber
That You Wouldn't Mind Going,
Que você não se importaria em ir,
Going Along With My Plan. 
ir junto com meu plano

When It Will Be Right, I Don't Know. 
Quando será certo, eu não sei
What It Will Be Like, I Don't Know. 
Como será, eu não sei
We Live In Hope Of Deliverance
Nós vivemos na esperança da libertação
From The Darkness That Surrounds Us. 
da escuridão que nos cerca

Hope Of Deliverance,
Esperança da libertação,
Hope Of Deliverance. 
esperança da libertação
Hope Of Deliverance
esperança da libertação,
From The Darkness That Surrounds Us. 
da escuridão que nos cerca


quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O Silêncio dos Lobos

Este post vai para uma pessoa que sempre tentou me ensinar o valor do silêncio. Uma pessoa que pratica o silêncio, um lobo sábio! Veja isso, Humberto!



Pense em alguém que seja poderoso. Essa pessoa briga e grita como uma galinha ou olha e silencia, como um lobo? Lobos não gritam. Eles têm a aura de força e poder. Observam em silêncio. Somente os poderosos, sejam lobos, homens ou mulheres, respondem a um ataque verbal com o silêncio. Além disso, quem evita dizer tudo o que tem vontade, raramente se arrepende por magoar alguém com palavras ásperas e impensadas. 

Exatamente por isso, o primeiro e mais óbvio sinal de poder sobre si mesmo é o silêncio em momentos críticos. Se você está em silêncio, olhando para o problema, mostra que está pensando, sem tempo para debates fúteis. Se for uma discussão que já deixou o terreno da razão, quem silencia mostra que já venceu, mesmo quando o outro lado insiste em gritar a sua derrota. 

Olhe. Sorria. Silencie. Vá em frente. Lembre-se de que há momentos de falar e há momentos de silenciar. Escolha qual desses momentos é o correto, mesmo que tenha que se esforçar para isso. Por alguma razão, provavelmente cultural, somos treinados para a (falsa) ideia de que somos obrigados a responder a todas as perguntas e reagir a todos os ataques. Não é verdade! 

Você responde somente ao que quer responder e reage somente ao que quer reagir. Você nem mesmo é obrigado a atender seu telefone pessoal. Falar é uma escolha, não uma exigência, por mais que assim o pareça. Você pode escolher o silêncio. Além disso, você não terá que se arrepender por coisas ditas em momentos impensados, como defendeu um pensador grego, mais de 300 anos antes de Cristo, ao afirmar: "Me arrependo de coisas que disse, mas jamais do meu silêncio". 

Responda com o silêncio, quando for necessário. Use sorrisos, não sorrisos sarcásticos, mas reais. Use o olhar, use um abraço ou use qualquer outra coisa para não responder em alguns momentos. Você verá que o silêncio pode ser a mais poderosa das respostas. E, no momento certo, a mais compreensiva e real delas. 

Aldo Novak

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Tempos Modernos


Eu vejo a vida melhor no futuro... Eu vejo isso por cima de um muro de hipocrisia que insiste em nos rodear! Hoje o tempo voa, amor, escorre pelas mãos, mesmo sem se sentir! E não há tempo que volte, amor, vamos viver tudo o que há pra viver, vamos nos permitir!

Lulu Santos

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

A Mulher Invisível - Construindo Catedrais

Assisti a um vídeo no qual a autora do livro "A Mulher Invisível", Nicole Johnson, falava de sua obra. Fiquei comovida com suas palavras. São palavras não só de uma mulher. São também de uma mãe, de uma esposa, de alguém que crê em Deus.  E, em muitas passagens, me identifiquei com ela. Acho que poucas não se identificariam. Deixo transcrito abaixo trechos do seu discurso. O vídeo pode ser visto clicando aqui. Mas, se assim como eu, você deseja ler e reler infinitamente, refletir e agradecer, acompanhe:


Tudo foi acontecendo aos poucos. Eu falava e ninguém ouvia. Eu falava “Desliguem a TV, por favor” – e nada! Então eu gritava “Desliguem a TV”! E depois de repetir várias vezes, eu mesma tinha que desligá-la. Eu percebi isso em outras situações. Meu marido e eu estávamos em uma festa há horas. Eu já estava pronta para ir embora. Eu fui saindo. Ele estava conversando com um amigo e continuou conversando. Ele nem se virou. Foi então que eu percebi: ele não consegue me ver. Eu sou invisível! Eu sou invisível! Eu fui notando cada vez mais. Eu levava meu filho para a escola e professora perguntava “Jake, quem é essa com você?” E ele dizia “Ninguém!” Ele só tem cinco anos e eu já sou ‘ninguém’! 

Numa noite dessas, nosso círculo de amizades se reuniu celebrando a volta de uma amiga da Inglaterra. Janice contava tudo sobre a viagem e eu olhava as outras mulheres na mesa. Eu tinha me maquiado no carro, usava um vestido qualquer e meu cabelo sujo estava com um prendedor velho. Estava me sentindo ridícula. Janice veio até mim e disse “Eu te trouxe isto”. Era um livro sobre as grandes catedrais da Europa. Eu não entendi até ler a dedicatória – Com admiração pela grandeza do que você está construindo quando ninguém vê. Devorei o livro!

Não se sabe os nomes de quem construiu as grandes catedrais. Você procura, mas só acha construtor desconhecido... desconhecido. Eles completaram obras sem saber se jamais seriam reconhecidos. Há uma história sobre um dos construtores que estava esculpindo um passarinho, que seria coberto por um telhado. Alguém lhe disse “Por que gastar tanto tempo fazendo algo que ninguém vê?” E aqui diz que ele respondeu “Porque Deus vê”. Eles acreditavam que Deus vê tudo. Deram sua vida por obras que nunca viram concluídas. Algumas catedrais levaram mais de cem anos para ficarem prontas. Isso é muito mais que a vida útil de um trabalhador. Sacrificaram-se dia após dia para não terem qualquer reconhecimento. Numa obra que não veriam concluídas.

Um dos escritores chega a dizer que nenhuma grande catedral será novamente erguida, porque há pouquíssimas pessoas dispostas a tanto sacrifício. Eu fechei o livro e era como se Deus me dissesse “Eu te vejo! Você não é invisível para mim! Nenhum sacrifício é tão pequeno que não veja. Eu sorrio a ver cada bolo, cada botão pregado, vejo cada lágrima de decepção quando as coisas vão mal. Mas, lembre-se: você está construindo uma catedral, ela não ficará pronta durante a sua vida. E, infelizmente, você nunca entrará nela. Mas, se você construí-la bem, eu entrarei.”

Às vezes, a invisibilidade me afligia, mas entendi que ela não é a doença que apaga a minha vida. Ela é a cura para a doença do egocentrismo. É o antídoto para o meu orgulho. Não importa se os outros não me veem. Não importa se meu filho não disser a um amigo que for lá em casa “Você não vai acreditar no que a minha mãe faz! Ela acorda às quatro da manhã, cozinha, passa roupa...” Ainda que eu faça tudo isso, eu quero que meu filho se sinta feliz ao voltar para casa e diga ao seu amiguinho “Você vai adorar ir lá em casa”. Não importa se os outros não me veem. Não trabalhamos para as pessoas. Trabalhamos para Deus. Nos sacrificamos por Ele. Os outros nunca prestarão atenção. Por melhor que trabalhemos, rezemos para que o nosso trabalho fique como um monumento para o nosso Deus!

domingo, 10 de agosto de 2014

Pai

Você é nosso herói, nosso "amigo"
Você faz parte deste caminho
Que hoje seguimos em paz!


Sou uma mãe que fala pelos seus filhos, porque tenho fidúcia para isso! Nossos filhos não poderiam ter um pai melhor que você, Humberto. Parabéns pelo seu dia! Pai Herói!

sábado, 2 de agosto de 2014

Meu Pedacinho de Chão - Capítulo Final


Um final cor-de-rosa. Posso assim definir o último capítulo desta história encantadora chamada Meu Pedacinho de Chão. Quem se lembra das primeiras cenas nas quais Zelão aparecia todo sisudo, cara amarrada, marrento, não poderia imaginar que ele terminou a novela com mechas rosas em seu cabelo mezzo curto, mezzo comprido. Quem diria... Não por acaso, Juliana vestia a cor do amor. Como numa aquarela, as roupas de Zelão passaram por vários tons, desde os quentes até o mais sombrio, como na chegada do inverno, época em que se vestiu de preto para demonstrar seu luto, por ter rompido com a "prefessorinha." Comparado a Jon Snow, de Game of Trones, caminhava por entre a neve com sua face entristecida e, sua capa de Zorro, dava-lhe o aspecto de cavaleiro solitário...


Mas esqueçamos todos esses detalhes, porque vale mesmo a pena é registrar a magia deste conto de fadas! Se o rosa simbolizou o amor entre o capataz e a professora, todas as outras cores e muito mais representaram o universo lúdico e encantador de todos os personagens e também do arraial de Santa Fé. Com um colorido de encher os olhos, vimos desfilar pela imagem da TV a deslumbrante Juliana Paes, com sua histriônica Catarina; a menina Pituca, um docinho de gente; Serelepe parecendo o Pequeno Príncipe; Amância, Rosinha, Gina, Ferdinando, Pedro Falcão, Dona Tê, Giácomo, Padre Santo, Mãe Benta, Rodapé, Milita, Viramundo, Doutor Renato, o Prefeito das Antas, Epaminondas Napoleão, todos, sem exceção, brilharam, reluziram, encantaram e coloriram nosso início de noite por cem impecáveis capítulos.


No sua última apresentação, pudemos saber que o temido Coronel Epa era o pai de Serelepe. Uma história que não fechou redondinha. Parece que algumas pontas ficaram soltas. Como se não tivessem tido tempo de costurá-las na reta final. Vimos dois candidatos à prefeitura das Antas desistirem da disputa. Isso me soou um tanto estranho, pois o fio condutor da novela, por muitos capítulos, foi exatamente o tema político. Deram tanto espaço para se debater, até Ferdinando chegara a ser cogitado para entrar na briga pelo cargo e, no derradeiro discurso, o autor se desfez - talvez desdenhando mesmo da política - de todos os seus candidatos. Rosinha e 'seu' Giácomo formaram um par inusitado, ou, inesperado. Não houve, durante a novela, nenhuma menção de que isso poderia ocorrer. Ficou parecendo um imbróglio na trama, assim como o posto de saúde não ter dado certo. Gostaria que tivesse sido um sucesso, da mesma forma que a escola obteve êxito. 


Todavia, o personagem do ator Bruno Fagundes parecia não ter mesmo muita relevância na trama. Apesar do esforço e de ser filho de Antônio Fagundes, o moço foi meio inexpressivo em sua atuação, do mesmo jeito que foi Gabriel Sater por, nem de longe, ter lembrado o talento musical e dramático do seu pai, Almir Sater. Porém, nada disso diminui a beleza e a exuberância da narrativa de Benedito Ruy Barbosa. Ele, juntamente com uma equipe sensacional e, de quebra, como a colaboração do super competente diretor Luiz Fernando Carvalho, nos presenteou com uma linda história. E nessa história qualquer erro será perdoado, simplesmente pelo fato de ela nos ter feito sonhar e desejar viver num mundo colorido, bonito e amoroso de Meu Pedacinho de Chão! Sentirei saudade...


A cerimônia de casamento duplo foi lindíssima. Gina ficou mais bonita que Juliana. Aliás, o casal 'Ginando' foi muito mais emocionante do que 'Zeliana". Sim, Ferdinando roubou todas as cenas dentre os mocinhos da novela - Renato e Viramundo! E Gina, ah....que atriz sensacional! Paula Barbosa, neta de Benedito, honrou o nome da família e fez bonito! Já Bruna Linzmeyer foi doce e linda, como toda protagonista deve ser. Entretanto, era chatinha. Seu visual de boneca enchia os olhos. E...que olhos! Sua mocinha serviu de alavanca para Irandhir Santos ser catapultado ao sucesso através do seu magnífico Zelão! Ah, só para constar, o nome de Zelão foi revelado: José Aparecido Menezes. Os dois tinham química e o casal funcionou pelo antagonismo entre eles. A torcida do público para eles ficarem juntos deveu-se muito mais ao talento do intérprete Irandhir que pelo carisma e beleza irrepreensíveis de Bruna. A roupa branca do noivo e seus cabelos com mechas cor-de-rosa selaram esse amor hippie com nuances de algodão- doce entre Zelão e Juliana! 


Linda também foi a relação de amizade entre Pituca e Serelepe. O garoto teve seu nome revelado - José Augusto. Ele sempre soube ser filho de Epaminondas. Somente no capítulo final o garoto revelou seu segredo à Catarina e Pituca. Epa, evidentemente, já sabia desta paternidade. Mas o enredo não ficou bem explicado, o que não tirou a emoção da história desse menino fofo e esperto, que tinha até trilha sonora: Lepe, Lepe, Lepe....Leeeeepeee!

terça-feira, 29 de julho de 2014

Minha Prece


Hoje eu quero rezar. Transformar meu choro em prece. Rezo pelas vítimas da Palestina e de Israel, pelas centenas de  mortos dos acidentes aéreos, pelos queridos escritores brasileiros que se foram em menos de uma semana. Rezo pelos desesperados, desesperançosos, por aqueles que imergem nas profundezes de um poço, muitas vezes sem fundo, à procura de respostas. 

Hoje estou sensível. Eu ando chorando até em cena de novela e música vintage. Parece uma grande cafonice escrever tudo isso. Mas às vezes sou arrebatada por um sentimento de angústia que somente extravaso através da escrita. E quanto mais solitária, mais inspirada eu fico. A madrugada faz minhas ideias fervilharem. Então, eu peço também por mim. Pelo fim da dor no peito, das dores do corpo. Rezo pela minha família - minha mãe, meu pai, irmãs, sobrinha, meu avô que não está muito bem - e, perdoem-me, mas rezo principalmente pelos meus filhos e pelo meu companheiro. 

Rubem Alves tinha medo da morte. Mas quando ele viu que seu caso era irremediável, pediu que ela não se demorasse muito. Rezo por Rubem Alves, que de pastor presbiteriano terminou seus dias dizendo-se ateu. 

Rezo por aqueles que estão no leito de um hospital sem esperança de vida. Pelos que se encontram nas penitenciárias, no cenário mais obscuro que se possa imaginar. Pelos moradores de rua. Pelos dependentes químicos e pelos dependentes de todas as coisas inatingíveis. Rezo pelas pessoas que necessitam viver paixões frívolas, por aquelas que não sabem amar e por aquelas que de tanto amarem, morrem de amor.

Hoje eu quero estar no barco durante a tempestade e não ter medo, porque Ele está comigo. E me ouvirá. E irá acalentar os corações de todos os necessitados. 

Christiane Bianchi

Pai Nosso que estás no céu e em toda parte, santificado seja o Teu amado nome. Venha a nós o Teu reino de amor e de bondade. Seja feita a Tua vontade, assim na terra como em todos os reinos espirituais. O pão nosso do corpo e da alma dai-nos hoje e sempre. Perdoa as nossas dívidas e nos ensina a perdoar os nossos devedores. E também não nos deixe cair em novas tentações. Livra-nos de todos os males.

Amém.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Chay Suede


Lindíssimo e talentoso o jovem ator Chay Suede! Fez uma atuação impecável na primeira fase da novela Império, como José Alfredo. Sua história de amor com Eliane, de Vanessa Giácomo, comoveu. E, tirando a chatíssima - "olhos fechados pra te encontrar" - a trilha sonora é belíssima, incluindo hits dos anos 70! Acho que vem novelão por aí!


quarta-feira, 23 de julho de 2014

João , Rubem , Suassuna


Seis dias, três perdas. Mentes brilhantes, arautos das boas novas, porta-vozes dos nossos sonhos, ícones da nossa literatura. Literatura maiúscula, que nesta semana perdeu grandes nomes de sua arte! João Ubaldo Ribeiro e suas inesquecíveis histórias, baiano de Itaparica, acostumado com a beleza do mar... E então criou, dentre tantas outras obras,  O sorriso do lagarto. Quem não se lembra da lindíssima minissérie protagonizada por Vera Fisher e Carlos Alberto Ricceli? Eu me lembro! 

Rubem Alves. Um ponto final. Um luto que mora dentro de mim desde o último dia 19. Uma incredulidade por pensar na sua ausência física. Um homem cujas letras adentraram em minha vida e modificaram tantos pensamentos... Ele me incentivou a criar um jardim. No último andar de um prédio, na selva de concreto, eu pedi para construírem uma jardineira na varanda do apartamento. Disseram que perdi espaço. Não, eu não perdi espaço construindo uma jardineira na sacada. Eu ganhei um cenário, eu ganhei filhotes... Como os bichinhos, as plantinhas também dão cria! E dão vida e colorem o meu dia a cada manhã. Foi por ele, somente por ele que plantei jardins por fora, para que pudesse andar por dentro de mim! Rubem, o mineiro que adorava ipês amarelos.

Ariano Suassuna imortalizou João Grilo e Chicó. O Auto da Compadecida é um dos melhores textos teatrais do nosso acervo literário e uma das mais impecáveis produções televisivas - o que não é uma tarefa fácil, transferir letras para vídeo. Suassuna, paraibano, nos mostrou os flagelos da seca nordestina, os capangas sertanejos, a corrupção na igreja, o povo simples, a fé. Nos fez pensar em um Jesus diferente e nos mostrou a força intercessora da mãe de Cristo. Falou do perdão, da redenção e da segunda chance, uma vez, humanos que somos, temos direito a ela. 

E, como diriam os Beatles, hoje eles estão in the sky with diamonds. Brindando por terem sido tão especiais, olhando por nós e sorrindo... Deuses da Literatura brilhando no Olimpo!


"Já estou chegando, ou já cheguei, à altura da vida em que tudo de bom era no meu tempo."
João Ubaldo Ribeiro
*23.01.1941
*18.07.2014


"Deus existe para tranquilizar a saudade."
Rubem Alves
*15.09.1933
*19.07.2014


"Mas eu acho a vida um espetáculo belíssimo!'
Ariano Suassuna
*16.06.1927
*23.07.2014

terça-feira, 22 de julho de 2014

Sobre o Morrer



Rubem Alves e sua filha Raquel, musa inspiradora de várias crônicas do autor.

A morte me informa sobre o que realmente importa. Me daria ao luxo de escolher as pessoas com quem conversar. E poderia ficar em silêncio, se o desejasse. Perante a morte tudo é desculpável... Creio que não mais leria prosa. Com algumas exceções: Nietzsche, Camus, Guimarães Rosa. Todos eles se foram aprendizes da mesma mestra. E certo que não perderia um segundo com filosofia. E me dedicaria à poesia com uma volúpia que até hoje não me permiti. Porque a poesia pertence ao clima da verdade e encanto que a Morte instaura. E ouviria mais Bach e Beethoven. Além de usar meu tempo no prazer de cuidar do meu jardim...

Rubem Alves

Rubem Alves no Programa do Jô

Nunca me esquecerei de você!



 Parte 2 clique aqui

sábado, 19 de julho de 2014

Rubem Alves - O Adeus

"Penso que borboletas, seres alados, diáfanos e coloridos, devem ser emissários dos deuses, anjos que anunciam coisas do amor. Imaginei então que aquela borboleta era um anjo disfarçado que os deuses me enviavam com uma promessa de felicidade."

Rubem Alves


E foi-se o maior escritor da era contemporânea. Rubem Alves morreu. Eu custo a acreditar. Não é possível. O melhor, o maior de todos. Quantas coisas aprendi lendo os seus livros. Tive o prazer, o privilégio de participar de duas palestras dele aqui em Belo Horizonte. Meu autor preferido. Meu muso, meu ídolo. Coração está em pedaços... Seu legado ficará para sempre. Seus ensinamentos, sua poesia narrativa. Um anjo deixou a terra. Está no paraíso. Saudades, mestre Rubem Alves. Saudade é a única palavra que consigo escrever neste momento. Obrigada por tudo. Descanse em paz!

Rubem Alves
*15.09.1933
*19.07.2014