domingo, 29 de dezembro de 2013

Gaiola Vazia

Brincando na jardineira...
Diferente dos pássaros, hamsters necessitam de gaiolas. Eles não sabem voar... Na verdade, essa afirmação eu não sei ao certo, pode ser que saibam. Hoje, o hamster do meu filho morreu. Viveu dois anos e meio, seis meses a mais do que o previsto. Ele e a fêmea, que "voou" para o céu dos animaizinhos já há algum tempo, tiveram mais de trinta filhotes. Todos foram vendidos ou doados. O ratinho ficou só,  a brincar na sua gaiolinha com a mini roda gigante. Até que adoeceu, foi tomado por tumores. Veterinários não receitaram nada, restava-nos esperar. Ontem, pelo skype, eu o mostrei ao seu dono, que está vivendo num reino tão, tão distante... Pareceu uma despedida. Horas depois, a gaiola ficou vazia. Não tinha nome, era apenas o rato. E ele se foi.

sábado, 28 de dezembro de 2013

Pedra Flor Espinho - Acabou 2013


Enfim, acabou 2013! E junto com ele a época mais hipócrita do ano. Durante onze meses as pessoas vivem na mais completa falta de amor ao próximo, querendo que o outro tropece, quebre a cara e se dê mal. Passamos da janeiro a novembro sendo nós mesmos - fúteis, egoístas, manipuladores, fofoqueiros, maledicentes, julgadores. Bestas-feras desenjauladas! Podemos tudo neste período, somos quem somos! Estou colocando o texto na primeira pessoa do plural porque, evidentemente, se estou fazendo um post sobre hipocrisia, não posso me dar ao luxo de me autoexcluir! 

Aí chega dezembro! O clima natalino contagiando a todos, os enfeites a nos brindar os olhos com tanta beleza, os preparativos para a ceia. Todo mundo fica bonzinho, engole o orgulho - afinal, são somente 31 dias - pois a festa na casa do fulano, do beltrano e do sicrano será de arrasar! Presentes, muitos presentes! Iphones, X-Box, tablets... Boneca de pano, carrinho de madeira ninguém se lembra mais de dar... A joia mais preciosa, a roupa da mais cara grife, os sapatos Prada e Louboutin, as fragrâncias francesas tão disponíveis nas importadoras, uma verdadeira tentação! 

E nas redes sociais? Chovem mensagens cute-cute, so softs and sweets! Aqueles anjinhos, papais noéis, presépios, velas... e os dizeres, então? A criatura passa o ano inteiro sem curtir nem comentar nada do que você posta. Aí, vem aqueles aplicativos de presentes para árvores e, num toque de mágica natalina, a tal pessoa lembra que você existe. E te manda ursinho, velinhas, panetones (tudo virtual) para completar seu joguinho. Durante todo o ano não se lembrou ao menos do seu aniversário, data que fica exposta 24 horas no facebook. Não, para quê? Bobagem, quem se importa com uma postagem de "parabéns"? Eu me importo. E parabenizo a 99,9% dos meus amigos internautas. Mas confesso, sou vingativa e não escrevo nenhuma notinha para aqueles que não me mandaram nada no dia do meu aniversário. Tenho que ser sincera, não posso quebrar a proposta do post!

Todo mundo fica fofo em dezembro! Todo mundo faz planos para o ano vindouro! É hora de perdoarmos àqueles que nos ofenderam e de também nos perdoarmos por termos ofendido. É a legitimação do Pai Nosso! Será o fim de todas as nossas mágoas, afinal, de um dia pro outro, tudo vai mudar. Em primeiro de janeiro iremos nos esquecer daquilo que nos fez mal, do que não deu certo, das trapaças e dos trapaceiros, daquelas ferradas homéricas que levamos de algumas pessoas, até o dia 31 de dezembro. A fada-madrinha da esperança bate na nossa cabeça com sua varinha de condão e assim, enebriados com a magia dos contos de fada, deixamos nosso lado madrasta-vilão-viralata para nos incorporarmos em anjinhos celestiais a tocar harpas nos corações do próximo!

Por acaso devo deixar registrado que eu gosto do Natal, parcialmente. Agora, ultimamente, gostando cada vez menos. Queria dormir no final de novembro e acordar em janeiro. Mas não adianta, esta magia não funciona, temos que partir pra cima do mês mais conturbado do ano! Para mim, é um dia como outro qualquer. Gosto de ficar com meu marido e meus filhos, há anos tem sido assim. Só nós quatro. Natais não me trazem boas lembranças. Prefiro que passe rápido e que logo chegue o novo ano... Não que eu vá mudar repentinamente, isso é balela, é conversa para boi dormir! Ninguém muda por causa de uma data. A gente muda por conta própria, devido às situações que nos são impostas pela vida. Mas também há aqueles que não mudam nunca. Só mudam de cara - porque o tempo é implacável! Portanto, o conteúdo é o mesmo. 

Todo mundo faz promessas no mês de dezembro. Jura porque jura que "Daqui pra frente tudo vai ser diferente". Vamos mudar nosso comportamento, seremos mais gentis, falaremos menos, amaremos o próximo, perdoaremos mais, emagreceremos, estudaremos... Prometemos e sabemos que não vamos cumprir. Manteremos nossas vidinhas sossegadas, continuaremos a odiar as mesmas pessoas - porque embora você tenha prometido perdoar, você sabe que não vai conseguir e a pessoa também fará o mesmo com você - não sairemos da nossa zona de conforto. Aquele sujeito que um dia foi seu amigo e está bloqueado no seu facebook continuará bloqueado, afinal, a gente não é tããããõoo evoluído assim, não é mesmo? Se bem que, já há algum tempo, eu não tenho mais ninguém em bloqueio nos meus perfis virtuais. Concluí que, uma vez que você bloqueia você coloca um cadeado. E cadeados não abrem portas, não nos dão perspectivas. Cadeados nos fazem prisioneiros do nosso próprio cárcere mental, nos tornam incapazes de vislumbrar horizontes. Nos tornam soturnos, sombrios, escuros de alma! Por isso abri todos eles, soltei-os, me libertei!

E ademais, amar e odiar são sentimentos nobres. Impedir alguém de fazer contato com você não é estar indiferente, é estar amando ao contrário! Lembremos - precisamos purificar nossos corações, tomar um banho de sal grosso, dar um mergulho no mar ou  um banho de cachoeira. 2014 está com a mão na fechadura, vamos ficar sentados a espera de um milagre? O maior milagre é estarmos vivos! Então, que saibamos aproveitar esta passagem por aqui, que possamos realmente deixar de ser hipócritas e de fazer promessas que nunca serão cumpridas. Se não for possível fazer o bem ao próximo, que ao menos não façamos mal a ninguém. Viva e deixe viver. Se não é possível mudar da noite para o dia, faça um exercício intensivo de "como posso ser melhor para mim mesmo?" e coloque em prática, porque já, já é janeiro! E a gente vai ter onze meses para fazer tudo errado de novo, afinal, em dezembro estaremos preparados para a mudança das nossas vidas. Só que não (como costuma dizer meu filho caçula)! 

Att,

Christiane, a mesma.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Aprenda...


Só dê ouvidos a quem te ama, repito. Cuidado com as acusações de quem não te conhece. Não coloque sua atenção em frases que te acusam injustamente. Há muitos que vão feridos pela vida porque não souberam esquecer os insultos maldosos. Prenderam a atenção nas palavras agressivas e acreditaram no conteúdo mentiroso delas.

Fábio de Melo

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Feliz Natal !


O Natal deveria ser cor-de-rosa. A mistura do vermelho paixão com o branco da paz. Essas cores formam o rosa. O meio termo, a suavidade. Aconselho a todos a experimentarem um Natal Cor-de Rosa: presentes de sentimentos; ceia regada com taças de altruísmo e postas generosas de peixe-família... Brindemos o nascimento do Bom Menino: Amemos uns aos outros como amamos a nós mesmos. Que assim seja!

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

So Far Away...

Matheus,  este é o primeiro Natal em que não estaremos juntos. Pelo menos fisicamente, para dar aquele abraçaço, trocar presentes e brindarmos com uma taça de vinho. Mas quem disse que estar longe é estar separado? Pois saiba, meu filho, você fará parte da nossa ceia, quando fizermos nossas orações e nos lembrarmos dos anos anteriores nos quais, você e seu irmão, ainda crianças, acreditavam que Papai Noel deixava presentes sob a árvore de Natal... Você nunca estará ausente, mesmo estando celebrando esta data com seus amigos, na Itália! Uau, que sonho! O berço dos nossos ancestrais. Allora, un buoníssimo Natale per te e per tutti i suoi amici! Pace, amore e tutte le cose meravigliose, con la benedizione di Gesù bambino! Bacio da Mamma Bianchi!


Bardonecchia / Itália

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Para provocar um incêndio...


Pimentas são frutinhas coloridas que têm o poder para provocar incêndios na boca. Pois há ideias que se assemelham às pimentas: elas podem provocar incêndios nos pensamentos. Mas, para se provocar um incêndio, não é preciso fogo. Basta uma única brasa. Um único pensamento-pimenta...

Rubem Alves

"Essas pimentas; acrescentai-lhes asas e serão libélulas..." Basho

sábado, 21 de dezembro de 2013

De Itambacuri para o Mundo!


Aí, Humberto! Sua conterrânea é top e está passando férias com o maridão americano na sua cidade natal! Eu não sabia que ela era de lá... Ity está no mapa e na rota dos famosos, hein!


Fonte: Ego

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Quando eu não te tinha



Quando eu não te tinha
Amava a Natureza como um monge calmo a Cristo.
Agora amo a Natureza
Como um monge calmo à Virgem Maria,
Religiosamente, a meu modo, como dantes,
Mas de outra maneira mais comovida e próxima ...
Vejo melhor os rios quando vou contigo
Pelos campos até à beira dos rios;
Sentado a teu lado reparando nas nuvens
Reparo nelas melhor —
Tu não me tiraste a Natureza ...
Tu mudaste a Natureza ...
Trouxeste-me a Natureza para o pé de mim,
Por tu existires vejo-a melhor, mas a mesma,
Por tu me amares, amo-a do mesmo modo, mas mais,
Por tu me escolheres para te ter e te amar,
Os meus olhos fitaram-na mais demoradamente
Sobre todas as cousas.
Não me arrependo do que fui outrora
Porque ainda o sou.

Alberto Caeiro, in O Pastor Amoroso
Heterônimo de Fernando Pessoa

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Estatísticas do Blog

Olha, pela primeira vez na história do Adoro Ver-Te , em um período de um mês, o blog foi mais visualizado por usuários do continente asiático do que pelo número de visitantes brasileiros... Que interessante! Eu  não estou entendendo nada, mas devo estar de parabéns! 


quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Vô Antônio

"Amor que não se pede, amor que não se mede e não se repete..." Meu querido avô Antônio está completando 95 anos hoje! Isso é só para os fortes, hein! Orgulhosa e feliz por estar celebrando mais um ano de vida desta pessoa incrível! 


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

O engano nosso de cada dia


"Se engana quem acha que riqueza e status atraem inveja. As pessoas invejam mesmo é o sorriso fácil, a luz própria, a felicidade sincera, a alegria exagerada! O que incomoda as pessoas são as amizades que o outro atrai, a boa energia que transmite, o brilho ofuscante no olhar, a sinceridade espontânea, o amor verdadeiro, a positividade pela vida, a leveza no andar e a paz interior."

Élida Cordeiro

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Happy Birthday , Matheus!

"Hoje a noite não tem luar" e não poderei abraçá-lo... Mas, filho, de qualquer lugar em que esteja, irão chegar até você as vibrações positivas que mando daqui: o meu abraço - virtual - bem apertado, a certeza de que terá um dia feliz neste lugar paradisíaco, rodeado de amigos (sei que você já fez muitos por aí), festejando mais um ano da sua linda vida! Parabéns, alegrias mil, saúde e paz! Beijos da sua mãe, do seu pai e do seu irmão! Sua família te ama, menino de ouro! Deus te abençoe.


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Bruna

Ei, minha irmã! Mais uma data especial no mês de dezembro! Que felicidade poder te dar os parabéns, claro que não vai ficar só no virtual! Ontem, quando conversamos, eu disse que você é a primeira a girar o "dígito", você deu aquela gargalhada que é tão sua, tão peculiar e inimitável! Daqui a pouco estaremos todas na faixa dos 4... Sem problemas! Espero que tenha um lindo dia, que continue a receber todas as bênçãos, que tenha muita saúde para criar sua filhinha linda, a nossa Laurinha! Conte comigo, sempre. Somos, verdadeiramente muito mais que irmãs, somos amigas. Você é minha família! Abraços e beijos!


Lembra, Bruna, desta foto? Estão aí os dois aniversariantes da primeira semana de dezembro. Meus amores!

sábado, 30 de novembro de 2013

Muito Muito Pouco


"Tem muito carro e muito pouco chão; tem muita gente e muito pouco pão; tem muito papo e muito pouca ação; muito parente e muito pouco irmão."

Arnaldo Antunes

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Nossa Senhora das Graças


                                                   Salve Rainha, Mãe de Misericórdia
                                                   Vida, doçura e esperança nossa, Salve!
                                                   A Vós bradamos, os degredados filhos de Eva
                                                   A Vós suspiramos, gemendo e chorando
                                                   neste Vale de Lágrimas.
                                                   Eia, pois, advogada nossa
                                                   Esses Vossos olhos misericordiosos
                                                   A nós volvei!
                                                   E depois desse desterro,
                                                   Mostrai-nos Jesus, bendito fruto do Vosso Ventre
                                                   Ó Clemente,
                                                   Ó Piedosa,
                                                   Ó Doce Sempre Virgem Maria.
                                                   Rogai por nós Santa Mãe de Deus,
                                                   Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.


Hoje é dia de Nossa Senhora das Graças. A santa que inspirou minha avó a dar seu nome para minha mãe. E, por coincidência, hoje também é o aniversário do meu pai. Ele está completando 66 anos.

Grammy International Awards

Parabéns a Fernanda Montenegro pelo prêmio de melhor atriz! Concorreu com outras divas do mundo inteiro e arrebatou a estatueta pelo especial de fim de ano "Doce de Mãe". Mereceu!


Parabéns a toda equipe da novela Lado a Lado que concorreu com Avenida Brasil e, graças ao bom gosto dos jurados, foi eleita a melhor novela internacional do ano! Eu sempre soube que entre Carminha e a Baronesa, não poderiam haver comparações. Sem contar que a história de Lado a Lado é infinitamente superior, além do elenco, do figurino e do cenário! Ganhar prêmio internacional mostrando, na arte da telenovela, pessoas vivendo em um lixão seria demais! Se ainda fosse na categoria documentário... 


domingo, 24 de novembro de 2013

Como diria Mary Alice


“Confiança é uma coisa frágil. Uma vez conquistada, nos dá uma tremenda liberdade. Mas uma vez que a confiança é perdida, pode ser impossível recuperá-la. É claro que a verdade é que nós nunca sabemos em quem podemos confiar. Aqueles que são mais próximos podem nos trair. E completos estranhos podem vir em nosso resgate. No final, a maioria das pessoas decidem confiar apenas em si mesmas. É realmente a maneira mais simples para evitar ser magoado.” 

Mary Alice - Desperate Housewives

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Saber ouvir um Não!



É preciso aprender com os nãos da vida. Principalmente, é necessário manter o equilíbrio emocional diante de uma negativa, seja ela qual for: um livro que você pede emprestado; aquele CD que você não encontra para comprar e conhece alguém que tem, mas, sabidamente, não vai compartilhá-lo com você; o não dos seus filhos; o não dos seus pais; o não dos seus companheiros; o não dos vizinhos, dos amigos, dos inimigos; o não do amor da sua vida. 

Quando você ouve um não, você sempre aprende que algumas coisas não se pede emprestado - livros, cd's, carro, escova de dente. Também pode ser um punhado de sal, açúcar, farinha ou fubá para um bolo. Há também canetas, cadernos, laptops, senhas. O que estranhamente não estamos acostumados é pedir exemplos. Contentamo-nos em mendicar coisas materiais, que podem ser repostas, se danificadas em caso de empréstimo.

Absurdamente, me pego pensando que nunca pedi a ninguém emprestado: educação, respeito, carinho, solidariedade, amizade, bom senso, bom humor, compaixão, resignação, prudência, consciência, ética, amor, delicadeza... E esse pensamento me dá uma imensa paz de espírito, pois são valores que cultivo, assim como as plantas do meu jardim. São valores inerentes à minha pessoa. Outrora frágeis como flores ao sabor do vento, da chuva, da seca. Mas estão lá, sendo adubados para que suas raízes não apodreçam.   Será que se eu pedisse esses valores emprestados, alguém me diria um NÃO? Pode ser que sim, pode ser que não. Depende para quem se pode, poi, cada um só pode doar aquilo que tem.

O empréstimo poético dos substantivos abstratos que citei acima, evidentemente é uma mera ilustração daquilo que costumamos deixar à deriva em nosso inconsciente, por não considerá-los de essencial importância para o nosso aprendizado pessoal. Quando não podemos ter algo material, ou por faltar-nos recursos financeiros ou por falta do produto no mercado, é comum lançarmos mão de "pedir emprestado". Mas a gente se esquece de adquirir por conta própria certos valores indisponíveis em vitrines de liquidação ou catálogos de compra, bazares ou feiras de trocas.

Quando você deseja algo de uma forma muito intensa e isso está em um patamar tão inalcançável, costumamos beirar o desespero. O inconformismo com o NÃO nos deixa vulneráveis e predispostos a muitas vezes passarmos por ridículo! Acontece comigo, acontece com todos. Uma boa proposta para o auto-conhecimento e o controle das nossas emoções deveria começar com um NÃO todos os dias. Amanheceu chovendo? NÃO teremos sol, conforme-se e agradeça a Deus pela natureza. Acabou o ingresso para aquele show maravilhoso? NÃO será desta vez, conforme-se, haverá outras chances. Chegou atrasado ao aeroporto e perdeu o voo. NÃO irá embarcar, tente chegar mais cedo da próxima. Tudo é aprendizado. Foi o fim de uma amizade? NÃO era amizade, pessoas vão e vêm o tempo todo. NÃO implore e nem dê explicações, quem te ama não precisa disso. NÃO se humilhe e nem se rebaixe para obter atenção de alguém. NÃO atire pérolas aos porcos. NÃO se deprecie perante qualquer situação. NÃO seja soberbo, arrogante, prepotente. NÃO queira sempre estar certo, ninguém é o dono da verdade!

Difícil, não é? Eu acho. Lidar com as negativas da vida me provocam sensações muito desconfortáveis. Mas tento, na medida do possível, ver vantagem nos NÃOS que recebo. Um dia, lá na frente, quando enfim a velhice definitivamente se instalar e junto dela a sabedoria dos que muito já viveram nesta vida, eu acredite que todo NÃO  que eu recebi foi uma chave para a porta de todos os SIMs que tive de abrir. E, atravessando essas portas, terei certeza de que nada foi em NÃO.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Mãe Padece de Saudade

Hoje faz dois meses que meu filho se mudou para a Bélgica. Sei que ele está feliz, que está preparando seu futuro. A gente se fala quase todos os dias pelo skipe. Dá uma vontade de abraçar bem apertado! Aquele abraço que só as mães entendem o que estou sentindo. Saudade, filho. Fique bem, estamos bem. Beijos do seu pai e da mamis que te amam imensamente! Você faz muita falta! Aproveite bastante...


quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Milagre da Vida

Não há palavras que possam definir a vida! Pra mim, esta imagem é uma das mais lindas que já vi! 


Assista ao vídeo

Dedico este post para a minha amiga Renata Galvão  que está grávida dos gêmeos Vítor e Rafael!

Oração para recém-nascidos

Divino Pai Eterno !
A Ti entregamos nosso bebê;
Vós que destes a Virgem Maria
A maternidade do Menino Jesus
Nascido na manjedoura de Belém
Pedimos que ele tenha saúde e harmonia
Agradeço a Graça de ser mãe;
Que possamos inspirados na Sagrada Família de Nazaré
Sermos bons pais e educadores em sua vida futura
Que nosso lar seja de paz, prosperidade 
E Igreja Doméstica de Vossos Santos Ensinamentos;
Que não me falte o leite materno para o sustento de meu bebê;
Que a exemplo de São José
Ele tenha um Pai, justo, correto e companheiro;
Que não nos falte amor para a construção de um lar feliz;
Que sejamos perseverantes para superarmos as dificuldades do dia a dia; 
E pedimos Vossa Benção em nossas vidas;
Agora e sempre.
Amém!

(Desconheço a autoria)

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Cruzeiro, Cruzeiro Querido!!!

Tricampeão!

No dia 13, no ano 13 - 3 vezes campeão brasileiro!


13 de novembro de 2013! 

Caros rivais: CRUZEIRO - único time que ganhou de TODOS e é TRI, está também patrocinando o CHORO LIVRE deste ano, passe na Toca e leve sua caixinha de lenços descartáveis grátis!!!


Entenda o tri do Cruzeiro

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) homologou, no ano de 2010, os torneios Taça Brasil e Roberto Gomes Pedrosa - o robertão, disputados entre 1959 a 1970, como legítimos títulos nacionais. Isso fez com que todos os times que ganharam títulos antes de 1971 - quando teve início oficialmente o atual Campeonato Brasileiro - fossem beneficiados. Após a entidade futebolística oficializar esses novos campeões, o Santos e o Palmeiras passaram a ser os maiores favorecidos, com oito "canecos" cada um. Em 1966, o Cruzeiro disputou com o Santos o título de campeão pela Taça Brasil, conseguindo vencer o time paulista e, dessa forma, consagrar-se campeão brasileiro mesmo antes do seu arqui-rival Atlético Mineiro, que conquistou o primeiro e único título, em 1971.

Então, esse blablablá de tri sem bi é coisa de torcedor recalcado. É oficial. Gostando ou não.

1966 = 6+6 = 12 (1+2 = 3) TRI

2003 = 0+3 = 3  TRI

2013 = 4 -1 = 3  TRI

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Flora, Filipe e Valentina

"Quando as meninas se foram, plantamos as cinzas delas com dois ipês brancos num sítio em Juiz de Fora. Agora não vejo a hora de ver as crianças subindo nessas árvores." 
Marcelo Repetto


A felicidade do casal Cláudia e Marcelo Repetto irradiou e nos brindou a todos com a chegada dos seus trigêmeos Flora, Filipe e Valentina! Sim, a roda da vida girando... Uns partindo, outros chegando! A tragédia que se abateu sobre esses pais deu-lhes uma motivação para reiniciarem, do zero, a formação de uma nova família. Uma família marcada pela dor da perda um filho. No caso deste casal foram duas filhas, Giovana e Gabriela,  12 e 9 anos, soterradas no deslizamento de um morro durante um temporal em Angra dos Reis, no ano de 2010. Uma vez eu li que "Deus não escolhe os capacitados, Ele capacita os escolhidos". E olhando esta história tão comovente, de pessoas marcadas por uma dor imensurável, eu não tenho dúvidas de que Cláudia e Marcelo fazem parte daquele grupo seleto de pessoas que Deus escolhe para nos mostrar o seu poder, a sua glória, a sua misericórdia e a sua benevolência! Sim, é verdade. Ser pai e ser mãe é um dom. Da mesma forma que a fé é um dom. Gerar e cuidar de uma criança requer mais que vontade. Existe um pré-requisito para uma família se consolidar: o amor incondicional daqueles que se uniram a fim de darem sequência à vida. Ser pai e ser mãe não é somente um fator biológico. Qualquer ser humano pode ser pai e mãe. Entretanto, amar os filhos acima de qualquer coisa é para poucos. 


Em um depoimento emocionado, Cláudia, que foi submetida a uma inseminação artificial, declarou: "Minhas filhas se foram no réveillon, que é uma data de muita festa. E a chegada das crianças agora indica que o próximo ano vai ser muito especial. Quando tudo aconteceu, nossa ideia era nos mudar e fugir. Mas fugir de quê? Da vida? Para onde fôssemos, levaríamos nossa bagagem dentro de nós. O quarto das crianças era uma questão muito difícil. Mas conseguimos resolver as coisas vivendo dia após dia — completa Cláudia, hoje aos 46 anos, que para engravidar novamente passou por um aborto em uma gravidez espontânea e três inseminações artificiais. — As meninas sempre pediam um irmãozinho. Agora, por coincidência, vieram duas meninas e um menino.

Marcelo, hoje com 48 anos e transbordando de felicidade, também deixou este depoimento:"Um filho não substitui o outro. Mas eu sabia que aquele espaço ia voltar a ficar cheio de vida. O quarto vazio nunca foi um incômodo, apesar da imensa saudade. Até fizemos um pequeno altar em frente a ele para todos os dias rezar pelas meninas, que nunca vamos esquecer. E, aos poucos fomos conseguindo guardar as coisas e redecorá-lo para receber os bebês, embora a gente até tenha outro quarto que poderia ser deles [...]  Hoje sou uma pessoa diferente. Os trigêmeos nasceram no dia 8, um número que lembra o símbolo do infinito. E esse amor infinito nasceu com as meninas, que ensinaram para a gente que o amor transcende. Quando a gente valoriza o bom, o ruim não aparece. A mensagem que queremos passar é que existe esperança. Que a vida continua."

E que vocês - Cláudia, Marcelo, Flora, Filipe e Valentina possam ser muito felizes!

Lindas demais!
Trechos do post foram tirados de O Globo

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Menino Joaquim

"A vida é festa": foi o que escrevi ontem. Entretanto, para muitas pessoas, a vida é triste e doída, é luta, sofrimento, martírio e medo. A vida que sucumbe à maldade, às sombras, à escuridão. E quando a gente vê uma criança e se enche de esperança, e acredita que o bem vence o mal, somos surpreendidos, mais uma vez, pelo noticiário. Jamais pensei que depois do garoto Brayan, eu voltaria a escrever, em tão pouco espaço de tempo, a respeito de uma vida acabada tão precocemente. Pois é, no meio disso tudo, enquanto a roda da vida gira e nos iludimos com euforias passageiras,  eis que nos deparamos com mais uma história triste. A vida do menino Joaquim acabada tragicamente, com apenas três anos de idade. Um inocente entregue aos desvarios de um casal desequilibrado... E de uma mãe que não protegeu seu filho. Ninguém no mundo deveria ser mais importante do que um filho. Eu não trocaria (e não troco) um filho por nenhuma outra pessoa deste mundo! Descanse em paz, Joaquim. E que Deus dê muita força para o seu pai lutar por justiça. A justiça que você merece. 

Joaquim e seu pai Arthur
De acordo com as investigações, Joaquim deve ter morrido no dia 5 de novembro. As causas da morte ainda estão sendo averiguadas, mas já é sabido que ele já não tinha vida quando foi jogado no rio da cidade de Ribeirão Preto, interior de SP. Seu corpo foi encontrado no domingo à tarde, dia 10, a 150 km do lugar onde desapareceu. A mãe e o padrasto são os principais suspeitos deste crime bárbaro. 

domingo, 10 de novembro de 2013

A Vida é Festa


Mesmo com quatro meses de atraso, consegui editar algumas imagens da nossa viagem de Bodas de Prata. O passeio aconteceu em julho deste ano e merece, com todo o respeito àqueles que apreciam a felicidade, um brinde à alegria. Porque somente quem é alegre, feliz e grato é sábio. E, como tal, espera receber da vida aquilo que oferecer a ela. E nós queremos celebrar! O momento pede e a gente agradece!


sábado, 2 de novembro de 2013

Should


Àqueles que amei e não estão mais nesta terra, só tenho a dizer: saudades imensas!

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Mateus Solano

"Pelas contas do rosário! Será que eu salguei a Santa Ceia?"


"Mami poderosa e Papi soberano". É assim que Mateus Solano, ou melhor, Félix, o personagem master deste talentoso e promissor ator global, se refere à Pilar (Suzana Vieira) e César (Antônio Fagundes), seus pais na bombástica novela Amor à Vida, uma novela com crase (vem aí um post sobre isso). Há muito tenho tido vontade de falar sobre esse personagem tão intenso e controverso como o Félix, um vilão do qual não conseguimos ter raiva. Decerto, ele desperta a ira de muitos telespectadores, principalmente quando faz piadas de cunho religioso ou quando chama sua secretária de cadela. Porém, a maneira como Mateus construiu a personalidade de Félix, faz-nos enxergar para além de suas maldades - Félix é humano dentro de sua desumanidade, da sua falta de caráter e de escrúpulos. Vemos isso claramente quando se sente rejeitado pelo pai. Entretanto, Félix é inoportuno, interesseiro, ciumento, narcisista, manipulador, egocêntrico e dissimulado. O "e" não encerra por aqui os inúmeros defeitos do galã malvado, todavia, não se faz necessário desfilar uma carreira de adjetivos para qualificá-lo ou, no caso, desqualificá-lo.

Quando Walcyr Carrasco deu vida ao Félix, ele projetava um vilão atípico: um homossexual sem caráter. Até então nada a respeito tinha sido mostrado em horário nobre, no campo das relações minadas e dos temas polêmicos que o próprio autor, gay assumido, se propôs a debater. Se não fosse o talento indiscutível de Mateus Solano, acredito que Félix cairia naquilo que se chama, no jargão televisivo, de personagem caricato. Quando eu o vejo em cena, esqueço-me da falta de caratismo dele e me deslumbro com a capacidade de interpretação de Mateus! Sua atuação é simplesmente perfeita, a tonalidade de sua voz, os trejeitos, a ironia do olhar, o sorriso debochado e as tiradas indefectíveis que lhe renderam uma página no facebook com quase dois milhões de seguidores. Os internautas não curtem a fan page por achar que Félix é um exemplo de pessoa ou por admirar suas atitudes. Eles curtem porque Félix é diferente de tudo o que já foi mostrado em termos de vilania nas telenovelas. O Crodoaldo Valério, de Marcelo Serrado, era igualmente engraçado, mas era bonzinho e, além disso, secundário na trama de Aguinaldo Silva. Dizem que Carminha foi uma das melhores vilãs dos últimos tempos, embora eu deva ser a única que discorde disso. Adriana Esteves fez um único papel de sucesso: a Catarina de O Cravo e a Rosa, que, inclusive, está no Vale a Pena Ver de Novo. E vale mesmo! Eu detestava a Carminha, aquela gritaria toda, eu detestava e não assisti Avenida Brasil... Mas, enfim, sou minoria e minoria não conta! Só que, nem Crô e nem Carminha chegam aos dedinhos dos pés de Félix Khoury!

Ainda a respeito da criação do personagem, se buscarmos a etimologia da palavra Félix encontraremos, vindo do Latim, a sinonímia feliz. Feliz - alegre. Alegre - gay em inglês. Não por acaso, Walcyr escolheu esse nome para Mateus Solano. E o que dizer de Pilar? A sustentação da família, a base, o concreto. E se formos pensar em César? Vêm à minha cabeça o nome do imperador romano Caio César, um grande político e administrador, o papi homofóbico e soberano de Félix. Eu poderia escrever sobre isso e me perder no texto, pois é sabido que os autores, via de regra, tanto na literatura quando na teledramaturgia, pesquisam bastante sobre a personalidade de seus personagens e lhe imprimem nomes adequados. Claro que isso não é uma regra rígida, porém, bons escritores fazem isso. Como diria meu ex-professor de literatura brasileira: "Vocês sabem por que Machado colocou o nome de Capitu? Pois bem, não sabem, vamos lá - captura, capitólio, captar... E sabem por que o amigo traidor de Bento Santiago (santo e pecador - Iago de Otelo) chamava-se Escobar? Porque Escobar é (quase) um anagrama de cobra e a palavra é sibilante como uma serpente traiçoeira - Essssssssssscobar. O que traiu o amigo." Nunca me esqueci desta aula, do seminário sobre a inocência ou culpa de Capitu e da loucura que esse professor tinha pela obra Dom Casmurro.

Em comparação com Mateus Solano, não é com igual admiração que vejo Walcyr Carrasco. Aliás, quando a novela passou do centésimo capítulo, tornou-se insuportável de assistir. Tramas paralelas sem sentido, personagens que ficam dias sem aparecer, exagero de Elisabeth Savalla e Tatá Werneck que começou tão bem! E aquela Aline, que nojo! Mulher abominável, debochada, sem caráter e sem o carisma de Félix. Nem engraçada ela consegue ser, não tem empatia com o público. É a vilã tradicional - destila maldade e só. Mesmo assim, apesar de claudicante e mantendo bons índices de audiência, gosto de ver Félix em cena, gosto também do Eron-sempre-lindo-Marcelo-Antony, admiro Bruna Linzmayer e sua naturalidade para interpretar uma autista, a Linda. Tenho uma aluna autista, chama-se Luíza e Linda me emociona, assim como Luíza me ensina diariamente. Concluo que, de certa forma, ainda há algo de bom para se assistir em Amor à Vida. Nem que seja por esses que citei. Nem que seja para ver Mateus purpurinando e tornando nossas noites mais descontraídas, porque,  "pelas contas do rosário", não está fácil pra ninguém!

Christiane Bianchi


segunda-feira, 28 de outubro de 2013

I Feel Broken Down

Dias quentes, dias arrastados... Desânimo, preguiça, falta de inspiração. Esperando novembro chegar. Mudanças. Coragem. Força e Fé!

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Mário Quintana


"Amar: Fechei os olhos para não te ver e a minha boca para não dizer... E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei, e da minha boca fechada nasceram sussurros e palavras mudas que te dediquei....O amor é quando a gente mora um no outro." 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Príncipe George

George Alexander Louis
Há muitos que pensam ser a nobreza, antes de tudo, apenas a ostentação de luxo e de poder. No mundo encantado de Londres, uma família real vem nos mostrando que ser nobre é ter elegância e sofisticação com simplicidade no comportamento, apesar da luxuosidade, pompa e ostentação inerentes à monarquia. O príncipe herdeiro, que poderia ter uma infinidade de nomes, consta em seu registro apenas três: George Alexander Louis. Já começa por aí a demonstração de bom senso dos pais.  Há três meses eu estive na Inglaterra. Existe naquele lugar "tão, tão distante" uma atmosfera de magia contagiante. É como se estivéssemos dentro de um conto de fadas dos Grimm ou, até mesmo, em um capítulo de Harry Potter. Cada esquina tem o crivo da história da famosa ilha britânica. A casa onde morou Paul McCartney, o primeiro estúdio dos Beatles, a Abbey Road, o Castelo de Buckingham, os guardas da rainha, o Big Ben, os ônibus vermelhos de dois andares. Passeando pelas ruas impecavelmente limpas e floridas, ficamos a imaginar onde vivem os grandes artistas: Adelle, Phil Collins, os rapazes do Oasis e do Coldplay, Daniel Craig (agente 007), Helena Bonham Carter, Morrissey (The Smiths), enfim, a Inglaterra é um celeiro de grandes nomes da arte. São verdadeiros lordes e isso podemos comprovar pelo comportamento da família real. A educação começa de cima.  Em 22 de julho nascia o príncipe George. Foi em uma tarde ensolarada e muito quente, com uma sensação térmica de 40 graus. Do hotel, víamos pela TV as imagens das pessoas em frente ao palácio comemorando o nascimento do mais jovem sucessor ao trono britânico, filho de Kate e William. Eles, muito simpáticos, bem mais do que várias celebridades brasileiras, mostraram, sob os holofotes do mundo todo, o recém-nascido envolto numa mantinha simples, nos braços do pai. Agora que completou três meses, o principezinho foi batizado hoje. Seu traje, bem mais sofisticado,veio embelezar ainda mais aquele bebezinho de bochechas rosadas, a pequena realeza. Eles podem ostentar, eles são riquíssimos e chiquérrimos. Entretanto, não são nas roupas e nem nas joias que eles demonstram sua nobreza. A realeza britânica, hoje representada por William, Kate e George, somam valores que dinheiro nenhum é capaz de comprar: discrição, educação e carisma. Enquanto isso em terra brasilis, ser chique é outra coisa!  Vida longa ao príncipe George!


domingo, 20 de outubro de 2013

Laurinha - 6 anos

Linda, parabéns!


Laura Linda


Parabéns para a minha bonequinha! Que o seu caminho - com pedrinhas de brilhantes - seja abençoado pelos anjinhos, por Maria mãe do Menino Jesus e pelo Papai do Céu! Linda da tia dinda, amo você!


sábado, 19 de outubro de 2013

100 Anos de Vinícius de Moraes

Soneto de Aniversário

Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.

Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.

Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.

E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece. 

Vinícius aos 4 anos
Marcus Vinícius da Cruz de Melo Moraes nasceu em 19 de outubro de 1913, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de Lydia Cruz de Moraes e de Clodoaldo Pereira da Silva Moraes. 

Vinícius aos 15 anos
Vinícius teve três irmãos: Laetitia de Moraes, Lygia de Moraes e Helius de Moraes. Na foto acima, o poeta tinha apenas 15 anos.

Vinícius aos 17 anos

Aos 17 anos, ingressa na Faculdade de Direito, na rua do Catete, Rio


Casou-se nove vezes. Sua primeira esposa foi Tati de Moraes, com quem teve os filhos Susana e Pedro. Para ela criou o mais famoso verso: "Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure."

Posteriormente se uniu a Regina Pederneiras; Lila Bôscoli, com quem teve Georgiana e Luciana; Maria Lúcia Proença (a quem dedicou a crônica "Para viver um grande amor"); Nelita (para quem criou "Minha Namorada"); Cristiana Gurjão, mãe de Maria; Gesse Gessy; Marta Ibañez e, por último, com quem terminou os seus dias, Gilda Mattoso.

Uma vez perguntado a ele se era mulherengo, respondeu: "Mulherengo? Não, mulherólogo."


Fez inúmeras parcerias: Tom Jobim, Edu Lobo, Carlos Lyra, Baden Powel e Toquinho. Era amigo de Fernando Sabino, Manuel Bandeira, Pablo Neruda e Di Cavalcanti.

Um dia antes de morrer, Vinícius dera uma entrevista na qual fora questionado: "- O senhor tem medo de morrer?"

"Eu não estou com medo da morte, estou com saudade da vida."

 Vinícius de Moraes
* 19.10.1913
* 09.07.1980

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

What I Miss About You


Missing the train every morning at 8:52,
Sipping coffee from the same cup as you.
The sharing of secrets we thought no one else knew,
That's what I miss about you.

The new way that love had made me see,
Your bashful grin when you asked if I would like your key.
The knowing way you used to caress me,
That's what I miss about you.

You stole in with your starry smile exciting me,
Driving with you in your new car, feeling free.
If it's true that love is blind, then I was blind willingly,
You made me feel we had a future, that could be and would be.

The way you said I'd be no one on my own,
Your habit of soaking yourself in over-priced cologne.
The way you turned the light out when I knew you were home,
That's what I don't miss about you.

I bet you're using your weary magic like it's new,
Driving so fast with a new fool beside you.
Presumably believing she's the last of the lucky few,
I wonder if she knows she's being lied to like I do.

The way I only doubted myself when I was with you,
Like I was a fool for expecting something from life too.
Your skill of putting me down in-front of everyone we knew,
That's what I don't miss about you

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Conveniências


Há que se respeitar quem sofre de depressão, distimia, bipolaridade e demais transtornos psíquicos que afetam parte da população. Muitos desses pacientes recorrem à ajuda psicanalítica e se medicam a fim de minimizar os efeitos desastrosos que respingam em suas relações profissionais e pessoais. Conseguem tornar, assim, mais tranquila a convivência.

Mas tem um grupo que está longe de ser doente: são os que simplesmente se autointitulam “difíceis” com o propósito de facilitar para o lado deles. São os temperamentais que não estão seriamente comprometidos por uma disfunção psíquica – ao menos, não que se saiba, já que não possuem diagnóstico. São morrinhas, apenas. Seja por alguma insegurança trazida da infância, ou por narcisismo crônico, ou ainda por terem herdado um gênio desgraçado, se decretam “difíceis” e quem estiver por perto que se adapte. Que vida mole, não?

Tem uma música bonita do Skank que começa dizendo: “Quando eu estiver triste, simplesmente me abrace/Quando eu estiver louco, subitamente se afaste/quando eu estiver fogo/suavemente se encaixe...”. A letra é poética, sem dúvida, mas é o melô do folgado. Você é obrigada a reagir conforme o humor da criatura. [...]

Hoje em dia, se alguém chegar perto de mim avisando “sou uma pessoa difícil”, desejo sorte e desapareço em três segundos. Já gastei minha cota de paciência com esses difíceis que utilizam seu temperamento infantil e autocentrado como álibi para passar por cima dos sentimentos dos outros feito um trator, sem ligar a mínima se estão magoando – e claro que esses “outros” são seus afetos mais íntimos, pois com amigos e conhecidos eles são uns doces, a tal “dificuldade” que lhes caracteriza some como num passe de mágica. Onde foi parar o ogro que estava aqui?

Chega-se numa etapa da vida em que ser MISERICORDIOSO CANSA!!!. Se a pessoa é difícil, é porque está se levando a sério demais. Será que já não tem idade para controlar seu egocentrismo? Se não controla, é porque não está muito interessada em investir em suas relações. Já que ficam loucos a torto e direito, só nos resta nos afastar, meeeeeeesmo, e investir em pessoas alegres, educadas, divertidas e que não desperdiçam nosso tempo com draminhas repetitivos, dos quais já se conhece o final: sempre sobra para nós, os fáceis.

QUANDO EU ESTIVER LOUCO,SE AFASTE 
(Martha Medeiros - Revista O Globo - 14/04/13)

terça-feira, 8 de outubro de 2013

O que me apavora


"Tenho pavor de não ser eu. Precisar esconder as emoções, ficar calada porque é mais bonito. Esperar a conquista acontecer. Não ando mais a fim de grandes projetos, sonhos, metas absurdamente altas, objetivos loucos. Quero mais é tomar sorvete e me lambuzar, ler um bom livro, sair de cabelo molhado e cara lavada e nem me importar se alguém estranhar isso. Ando com vontade de viver o exagero da simplicidade."

Ita Portugal

domingo, 6 de outubro de 2013

Dexter - O Fim


Michael C. Hall rindo muito do fim de Dexter

SPOILER

Você é um fã de Dexter? Acompanhou a série e está triste e decepcionado com o final? Pois não fique. Deixa de mimimi porque trata-se apenas de uma obra de ficção e como tal não merece uma ruga da sua preocupação, nem ao menos que apareça seu primeiro cabelo branco. Você queria um documentário sobre um psicopata, com roteiro bem escrito, queria ter encontrado verossimilhança com fatos reais, não é mesmo! Ah, bobagem! Dexter é Hollywood, é business. Os atores, diretores, as franquias e o autor do livro que deu origem à série estão com os bolsos abarrotados de "dólares" enquanto os fãs se revoltam nas redes sociais e fóruns de discussão! Dexter teve o seu devido fim. Nem mais nem menos. O fim possível e até surpreendente após a última e fraquíssima temporada. Aliás, Dexter, no meu entender, acabou na quarta temporada com a morte da Rita. Naquele momento ele deveria ter sido preso e tudo estaria a salvo. Não teríamos uma Debra apaixonada pelo irmão, o casamento de La Guerta e Batista, a decadência física de Quinn e uma filha para Masuka. E o povo fica se digladiando por Deb ter morrido, como se Jennifer Carpenter estivesse muito comovida com isso. Larga a mão, gente! Vamos torcer para o nosso vilão-psicopata made in Brasil - Félix Khoury - que dá mais negócio! Gostando ou não, fato é que, em última análise, sabemos que Dexter e companhia vão deixar saudade! Tive um trabalhão danado para preparar este post, perdi horas preciosas da minha vida printando cenas importantes do derradeiro episódio para registrar aqui o meu parecer. Daqui a alguns anos, quando eu reler tudo isso, vou rir de tanto tempo perdido, tanta discussão vazia sobre um roteiro psicodélico do nosso querido e - por que não dizer - fanfarrão Dexter Morgan!

Oliver Saxon: o segundo Trinnity na vida de Dexter

O maior vilão da oitava e última temporada de Dexter foi ele mesmo. Desde que perdeu Rita para Trinnity, em uma jogada mal feita, na qual teve a chance de matar o assassino e decidiu deixá-lo vivo, Mr. Morgan tentava entender seu dark passenger.  Queria ter uma vida normal, ser alguém comum, casar-se com Hannah e mudar-se com ela e Harisson para a Argentina, onde construiriam um novo começo e tentariam se ver livres dos crimes que haviam cometido. Neste entremeio, teve que lidar com o filho da neurocirurgiã Evelyn Vogel. O rapaz, tão psicopata quanto ele, travou uma briguinha infantil com Dexter para obter a atenção da doutora. Ela, aliás, foi uma chatice só, personagem sem carisma, monocórdica e inexpressiva. Daniel Vogel, ou Oliver Saxon - seu arqui-inimigo, foi "absolvido" da morte por Dexter, no penúltimo episódio. Como Deb decidira voltar para o departamento de polícia, seu irmão tinha a intenção de dar-lhe Saxon de presente, e ela teria a volta triunfal prendendo o homem mais procurado de Miami, na ocasião. Porém, o plano deu errado e um policial do FBI se interpôs na parada e o jogo virou contra Dex e Deb. Saxon matou o agente federal e acertou Deb com um tiro. Uma grande tempestade foi anunciada.


Fuga Frustrada

Enquanto a filha de Harry recebia os primeiros-socorros, a câmera mostrava, em outro plano, Dexter e Harisson no hall do aeroporto. Hannah já os aguardava escondida no toalete, porque Elway (who?) a havia perseguido e tentava impedir seu embarque para a América do Sul. Não entendo como os diretores deixaram escapar a caracterização de Hannah. Quando ela levou o garoto a um hospital para dar pontos em seu queixo, a atendente a reconheceu e avisou à polícia. Porém, ninguém mais a não ser essa recepcionista, teve a mesma ideia e a bela loira transitava sem nenhum disfarce por um aeroporto, onde todos estariam avisados sobre uma possível fuga da mulher mais procurada da Flórida. Achei isso um furo enorme! Com a habilidade do MacGyver, Dexter consegue se livrar do Elway pentelho.  O capitão Matthews liga para Dexter e o avisa sobre o acontecido com Debra. Os planos mudaram fazendo Hannah e Harisson pegarem um ônibus para outra cidade, que não estava na rota do furacão. De lá, os dois embarcariam para Buenos Aires. (Clique nas imagens para ampliá-las).
Despedidas









No Hospital

Dexter e Debra se encontram. Ela está consciente e tem uma conversa comovente como seu brother. Nesta altura, já dava para desconfiar que algo muito sinistro estaria por vir... Quem mandou ser bonzinho, não é, Dexter, e deixar o vilãozinho sem sal vivo para atirar na sua irmã!
















Remember the monsters

Momento flashback. Após visitar Deb no hospital, Dexter rememora o dia em que Harisson nasceu. Ele se lembra do diálogo estabelecido com sua irmã, que o faz pegar o bebê no colo. A partir daí o anti-herói começa a se questionar se daria conta de cuidar de uma criança. A nova tia do pedaço logo se apressa em dizer que não haveria pai melhor para o pequeno, uma vez que Dex cuidou dela quando criança. Neste momento ela o questiona - Você se lembra dos monstros? - Muito oportuna a fala de Deb! A frase soa como - você é um monstro, porém conseguiu me livrar de tantos outros da minha amedrontada imaginação! Não parou por aí: - Elas eram as sombras. - Sim, Deb. Era a sua mente projetando seu triste fim, monstruoso e sombrio. 
















A Vingança tarda, mas...

Revoltado consigo mesmo da tamanha burrice que fizera, Dexter planeja a morte de Saxon. Peraí, vou fazer um parênteses sobre esse cara: tão inexpressivo e desimportante foi o vilão, que tive de olhar no google como ele se chamava. Ponto. Prossigamos. Com a desculpa de fazer um exame de resíduo de pólvora no filhinho da neurocirurgiã, Dex, friamente, como nos velhos e bons tempos, bate um papo reto com o agressor de sua irmã. Após dizer a Saxon que o próprio havia lhe aberto os olhos, tê-lo feito ver que não pode sonhar e ter uma vida normal, Dexter lança um olhar fulminante no bobão e revela: "Vim aqui para te matar com aquela caneta". Duvida? Olha aí...








Depois do maquiavélico plano para matar Saxon ter dado certo e as câmeras de vídeo terem revelado que foi por "legítima defesa", Angel e Quinn dão a entender que Dexter sairia ileso da acusação de assassinato. Até aqui, Hannah e Harisson já haviam embarcada para a Argentina sem nenhum problema, a loira conseguira se livrar de Elway - um nome que deve significar o caminho - e a tempestade estava prestes a causar grandes danos na cidade de Miami.

A Tempestade

A ideia de inserir uma tempestade nos momentos finais do seriado não foi nada original. Os estúdios Disney fazem isso desde 1935, quando lançaram Branca de Neve. Podemos vê-la também em outros clássicos da animação americana, como no Rei Leão, Tarzan e etc., etc., etc. Qual o sentido da chuva no final? Debra já havia falado das sombras. Os monstros eram apenas sombras, ausência de luz. O cenário fica na penumbra, o nome do furacão, não por acaso, é Laura - a mãe biológica de Dexter. Há uma inserção de duas cenas com contraste claro/escuro: quando Dex, do barco, onde tudo está cinza, liga para Hannah, em outra cidade de céu ensolarado. Dexter o monstro, a sombra, a ausência de lucidez. Hannah é o raio de sol, loira, lúcida, capaz de dar ao pequeno Harisson uma vida distante dos perigos que rondam seu perturbado pai. Hannah desponta como a heroína, aquela que salvará a criança das trevas. A tempestade varrerá o vilão da cidade de Miami. A chuva limpa, transforma e torna tudo claro quando ela se vai.

Despedidas









Debra, a última vítima

Podem dizer o que quiser, mas achei muita coragem dos roteiristas, com a anuência do co-produtor Michael C. Hall, o Dexter, darem esse final para Deb. Vamos esquecer que os atores foram casados na vida real, vamos pular a doença de Michael, vamos deletar as quatro últimas temporadas. Esqueçam tudo até aqui. Vamos nos ater à Debra do início, uma detetive que desejava uma promoção no departamento de polícia, onde seu pai tivera uma boa carreira e também onde trabalhava como perito de sangue seu adorado irmão. Aquela moça esguia, com o andar masculinizado, de boca suja - "fock you, Dex" - mas totalmente encantadora! Debra Morgan era a fã número um de Dexter, ela o idolatrava, o amava incondicionalmente, sofreu horrores por ele, descobriu estar apaixonada, quebrou a cabeça tentando gostar de outros caras, matou La Guerta para defendê-lo, foi ao fundo do poço. Todos esperávamos um fim feliz para ela, que fosse com Dexter, com Quinn ou sozinha. Porém, vimos Deb morrer pelas mãos de Dexter. Não, não foi um assassinato frio e cruel. Foi eutanásia. O quadro clínico de Deb piorou depois da cirurgia e ela teria uma vida vegetativa: iria se alimentar e respirar por sondas, não reconheceria ninguém, estaria em estado de demência. A pintura desse diagnóstico não deu alternativa para o "grande irmão", que sempre cuidara da garota amedrontada. Eram as sombras que restariam a Debra. Dexter não iria deixar. Ele sempre a protegera dos monstros. A cena foi dantesca e pitoresca. Ninguém sabe, ninguém viu. Mas Dexter entrou no quarto da irmã, olhou-a fixamente como se estivesse pedindo perdão, disse que a amava e desligou seus aparelhos. 






















Continua

Colocou-a em uma maca, pegou-a no colo, depositou seu corpo encoberto num lençol sobre um banco do seu barco Slice of Life e partiu rumo à tempestade, nos confins do oceano... Deb, diferente das outras vítimas de Dexter, não estava nos sacos plásticos pretos. Estava envolta em um pano branco. Estava envolvida de paz e de luz. Houve muita simbologia neste último episódio. Como já disse anteriormente, muitos contrastes de cores. Dexter acariciou a face morta da irmã antes de lançá-la ao fundo do mar. O mesmo mar que abrigou os restos mortais de suas vítimas, tantas vezes, seus algozes. Agora era diferente. O corpo de Deb estava intacto, ela repousaria ou seria destruída pelo furacão? Mais provável que sim. Uma cena comovente que deixou muitos fãs furiosos. Ferozes e Furiosos.
















O plano perfeito

Estava concluída a primeira parte do plano. Dexter desaparecera com o corpo da sua irmã. Agora, faltava desaparecer consigo mesmo. Não poderia mais colocar em risco a vida daqueles a quem amava. E restavam Harisson e Hannah. Para protegê-los, Dex forjou a própria morte. Se o barco explodiu, se o deixou à deriva para o furacão destruí-lo, nunca saberemos. Nas cenas finais, essas possibilidades ficam implícitas, pois um narrador comunica em inglês e em espanhol o fim da turbulência: "Bom dia, Miami, o furacão Laura passou e tudo voltará ao normal. Não há mais ameaças... Furacão Laura está se dissipando lentamente. A limpeza começou e a cidade volta ao normal." Esta sentença daria uma dissertação. Contudo, não vou me arriscar a fazê-la, pois o post já está gigantesco e me dando um trabalhão! Quero me ver livre dele logo, como quero me ver livre das lembranças deste final macabro de Dexter. O filho de Laura não era mais uma ameaça, sem ele, a cidade estava limpa e voltaria à normalidade. Se é que você me entende, caro leitor. Miami estava livre da escuridão imposta pelo exterminador de gângsters! Deb estava liberta das sombras pela qual estava condenada a viver - a sombra do irmão assassino e a sombra de uma sobrevida inutilizada. O monstro foi pra floresta, foi ser caminhoneiro. Fez um realese do seu irmão Briani, o Ice Truck Killer, o melhor e mais bonito vilão de todo o seriado. Será que Dexter se transformaria no WTK - Wood Truck Killer? Isso também, nunca saberemos. 














Considerações Finais

O vilão da temporada, Saxon, foi muito fraco em relação a Brian Moser - primeira temporada; Trinity, quarta e Trevis, sexta. Foi uma temporada de apelos femininos - Vogel fazendo honras de mãe do Dexter; Hannah ocupando o lugar de Rita. Todas a vezes que Dexter não matou o vilão, ele perdeu, perdeu a esposa e perdeu a irmã. As mulheres de sua vida. E, para não perder Harisson, seu único laço de sangue, armou um plano de morte com muita consciência - ele se despediu do filho pela última vez. Levou Deb parao olho do furacão. Jogou o corpo dela sem nenhum peso, pois sabia que a tempestade a levaria para longe; explodiu seu barco - fatia de vida e foi castigado - não pela morte, como muitos queriam - mas com uma vida vazia. Ficará subentendido para todos os personagens da série que Dexter não suportou a vida vegetativa de Deb e decidiu morrer com ela. A tempestade foi inserida para deixar claro que o corpo de Deb jamais seria encontrado, nem o de Dexter. Psicopatas não cometem suicídio, leia qualquer livro que trate do assunto. Ele seguiu o código de Harry - nunca seja pego. Para os amigos ele poderá ser um herói, por ter matado Saxon ou um covarde, por ter "morrido" com Deb. O caminhoneiro barbudo jamais seria Harisson, como alguns chegaram a cogitar.  Em todas as temporadas foi dito: Dexter não pode viver em dois mundos, não pode ter família, amigos. E ele se isolou. FIM!


Meu nome é Christiane Bianchi e demorei quinze dias para concluir a análise sobre o fim da série Dexter. Obrigada a quem veio e leu até aqui. (Poderá gostar também de Como diria Dexter MorganDexter capítulo final )