quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

2016

A casa está pronta para receber 2016! Que seja leve, que seja doce, com saúde e paz!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Saudades...

Tuas hortênsias estão lindas... Elas nos deixam saudosas das tuas mãos pequeninas e delicadas. Sabe a ausência? Então... Matamos a saudade através das doces lembranças que nos deixaste. No ano que logo termina, teremos hortênsias... Mamãe pediu para dizer-te que tudo o que plantaste floresceu e ainda sobrevive. Ela chora de saudades tua. Para sempre te amaremos, Vovó Nina!

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Chico Buarque de Holanda-Paris: Os Haters atacam novamente

Há poucos dias eu postei um vídeo de uma música do Chico Buarque. Assim, a esmo... Porque simplesmente amo o Chico. Amo suas canções, seus livros, seus ideais e sua história de vida! Mal sabia eu que, poucos dias depois, os detratores da democracia iriam atacá-lo publicamente por ele estar do lado da presidente Dilma. Existe uma ala conservadora na nossa sociedade atual que tem o seguinte pensamento: se o cara é rico ele não pode ser petista. Ser petista é coisa de pobre, de quem recebe auxílio-benefícios. Ter um apartamento em Paris, como é o caso do nosso ilustre cantor, é uma afronta para os opositores do PT. Eles não se conformam e a única maneira de agredir Chico Buarque é jogando na cara dele o apartamento de Paris. Arrogantes, desrespeitosos e cruéis. Esse é o perfil dos playboys que atacaram Chico Buarque na saída de um restaurante no Leblon, dentre eles o filho de Álvaro Garnero e Tulio Dek - sobrinho de Orlando Morais (marido de Glória Pires) - que namorou a Cleo. Eles se acham no direito de apontar o dedo para um dos maiores mitos da Música Popular Brasileira. Eu não sei se sinto nojo ou se sinto pena. Chico, bom... Chico dá boas risadas sobre os haters

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Regulamento - por Heduardo Kiesse

REGULAMENTO
(Aos praticantes do sonho)


Artigo 1.º
Não estacione o coração em becos sem saída (demore o tempo estritamente necessário para largar despedidas ou carregar abraços)

Artigo 2.º
Se beber, com o intuito de se lavar por dentro, não conduza (é quase impossível dar banho ao pensamento sem molhar a lucidez)

Artigo 3.º
Antes de atravessar a realidade, pare, escute e olhe, certifique-se de que não existem ilusões em contra-mão (descalce os caminhos que já não lhe servem – caminhos são sapatos que a terra nos oferece para descalçar irrealidades)

Artigo 4.º
Não abra a boca a beijos desconhecidos (especialmente aos conhecidos que se fazem desconhecer)

Artigo 5.º
Evite adormecer em sonos usados (cansam mais do que subir o infinito a pé)

Artigo 6.º
Seja mais sonhamor e menos sonhador (a dor não faz falta. Cria ausências)

Artigo 7.º
Nunca faça amor em locais proibidos, salvo em legítima defesa da saudade.

Heduardo Kiesse

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Olhos nos Olhos

Muso, poeta, escritor, admirador da alma feminina... Como não amar Chico?


Quando você me deixou, meu bem
Me disse pra ser feliz e passar bem
Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci
Mas depois, como era de costume, obedeci

Quando você me quiser rever
Já vai me encontrar refeita, pode crer
Olhos nos olhos, quero ver o que você faz
Ao sentir que sem você eu passo bem demais

E que venho até remoçando
Me pego cantando
Sem mais nem porquê
E tantas águas rolaram
Quantos homens me amaram
Bem mais e melhor que você

Quando talvez precisar de mim
Cê sabe que a casa é sempre sua, venha sim
Olhos nos olhos, quero ver o que você diz
Quero ver como suporta me ver tão feliz

sábado, 12 de dezembro de 2015

Nasceu em 1918

E hoje está completando 97 anos. Muitas histórias ele tem para contar, muito temos a aprender com ele. Vô Antônio, se eu pudesse transmitir em palavras tudo o que o senhor significa para mim, gastaria todo o tempo do mundo e não haveria vocabulário suficientes para tal expressão! Por isso, nesta data linda, eu quero pedir a Deus para continuar dando-lhe saúde e lucidez! Que venham os 100! Parabéns!


sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

A Tristeza Permitida


Se eu disser pra você que hoje acordei triste, que foi difícil sair da cama, mesmo sabendo que o sol estava se exibindo lá fora e o céu convidava para a farra de viver, mesmo sabendo que havia muitas providências a tomar, acordei triste e tive preguiça de cumprir os rituais que faço sem nem prestar atenção no que estou sentindo, como tomar banho, colocar uma roupa, ir pro computador, sair pra compras e reuniões – se eu disser que foi assim, o que você me diz? Se eu lhe disser que hoje não foi um dia como os outros, que não encontrei energia nem pra sentir culpa pela minha letargia, que hoje levantei devagar e tarde e que não tive vontade de nada, você vai reagir como?
Você vai dizer “te anima” e me recomendar um antidepressivo, ou vai dizer que tem gente vivendo coisas muito mais graves do que eu (mesmo desconhecendo a razão da minha tristeza), vai dizer pra eu colocar uma roupa leve, ouvir uma música revigorante e voltar a ser aquela que sempre fui, velha de guerra.

Você vai fazer isso porque gosta de mim, mas também porque é mais um que não tolera a tristeza: nem a minha, nem a sua, nem a de ninguém. Tristeza é considerada uma anomalia do humor, uma doença contagiosa, que é melhor eliminar desde o primeiro sintoma. Não sorriu hoje? Medicamento. Sentiu uma vontade de chorar à toa? Gravíssimo, telefone já para o seu psiquiatra.

A verdade é que eu não acordei triste hoje, nem mesmo com uma suave melancolia, está tudo normal. Mas quando fico triste, também está tudo normal. Porque ficar triste é comum, é um sentimento tão legítimo quanto a alegria, é um registro de nossa sensibilidade, que ora gargalha em grupo, ora busca o silêncio e a solidão. Estar triste não é estar deprimido.

Depressão é coisa muito séria, contínua e complexa. Estar triste é estar atento a si próprio, é estar desapontado com alguém, com vários ou consigo mesmo, é estar um pouco cansado de certas repetições, é descobrir-se frágil num dia qualquer, sem uma razão aparente – as razões têm essa mania de serem discretas.

“Eu não sei o que meu corpo abriga/ nestas noites quentes de verão/ e não me importa que mil raios partam/ qualquer sentido vago da razão/ eu ando tão down…” Lembra da música? Cazuza ainda dizia, lá no meio dos versos, que pega mal sofrer. Pois é, pega mal. Melhor sair pra balada, melhor forçar um sorriso, melhor dizer que está tudo bem, melhor desamarrar a cara. “Não quero te ver triste assim”, sussurrava Roberto Carlos em meio a outra música. Todos cantam a tristeza, mas poucos a enfrentam de fato. Os esforços não são para compreendê-la, e sim para disfarçá-la, sufocá-la, ela que, humilde, só quer usufruir do seu direito de existir, de assegurar seu espaço nesta sociedade que exalta apenas o oba-oba e a verborragia, e que desconfia de quem está calado demais. Claro que é melhor ser alegre que ser triste (agora é Vinícius), mas melhor mesmo é ninguém privar você de sentir o que for. Em tempo: na maioria das vezes, é a gente mesmo que não se permite estar alguns degraus abaixo da euforia.

Tem dias que não estamos pra samba, pra rock, pra hip-hop, e nem pra isso devemos buscar pílulas mágicas para camuflar nossa introspecção, nem aceitar convites para festas em que nada temos para brindar. Que nos deixem quietos, que quietude é armazenamento de força e sabedoria, daqui a pouco a gente volta, a gente sempre volta, anunciando o fim de mais uma dor – até que venha a próxima, normais que somos.

Martha Medeiros é jornalista e escritora brasileira
A crônica transcrita acima, faz parte do Livro “Doidas e Santas”

sábado, 5 de dezembro de 2015

Marília Pêra

Uma das maiores estrelas da dramaturgia brasileira. Diva do cinema, das telenovelas, das minisséries e do teatro. Partiu nesta manhã... Foi vencida pelo câncer. Ainda está no ar com a personagem Darlene, de Pé Na Cova. Deixou a temporada de 2016 gravada. Marília da inesquecível Rafaela, de Brega e Chique... Marília, eternamente Marília. Para sempre, saudade!


* 22 de janeiro de 1943
* 5 de dezembro de 2015 


terça-feira, 1 de dezembro de 2015

D E Z E M B R O

Dezembro significava o décimo mês do ano. No atual calendário, depois da introdução de Julho e Agosto, Dezembro passou a ser o último mês do ano!


01-Dia Mundial do Combate à AIDS
06-Aniversário do meu filho Matheus
08-Dia de Imaculada Conceição e três anos da morte da minha avó
12-Aniversário de 97 anos do meu avô Antônio
25-Natal

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Paris - Outra Tragédia

Depois de sofrer pelos ataques em janeiro que matarem jornalistas do Charlie Abdo, Paris está diante de um novo ataque terrorista. Desta vez foram 129 mortos e mais de 350 feridos. Homens-bomba se explodiram perto do Estádio Francês, em frente a Cafés famosos e na casa de shows Bataclan. Uma sexta-feira 13 para entrar na História. Muito triste. Rezemos por Paris!


sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Bento Rodrigues - Uma tragédia

O vilarejo de Bento Rodrigues, distrito de Mariana, MG, foi devastado pelo rompimento de duas barragens de uma empresa filiada da Vale, chamada Samarco. Vidas foram perdidas... Dignidade também. Casas, escolas, bens materiais as pessoas reconstroem, mas a história de cada um que foi soterrada junto com a lama... ficará lá para sempre. O Rio Doce está morto!

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Deus é Bom

Deus é misericordioso. Ele nunca se esquece de nós. E é por isso que eu confio em dias melhores, pessoas melhores, mais amor, menos intolerância. 

Obrigada, Deus, por não se esquecer de mim, mostrando-me Sua presença nas pequenas coisas e nas pessoas que colocou em minha vida.

domingo, 1 de novembro de 2015

N O V E M B R O

Novembro vem da palavra latina novem e significava, na antiguidade, o nono mês do ano.


01-Dia de Todos os Santos
02-Finados
13-Dia Mundial da Gentileza
14-Dia Nacional da Alfabetização
15-Proclamação da República
19-Dia da Bandeira
20-Dia Nacional da Consciência Negra
22-Dia do Músico
28-Dia Mundial de Ação de Graças

terça-feira, 27 de outubro de 2015

O Enem e a Direitopatia

Não gosta de mim? Morre que passa!

Simone de Beauvoir
O Enem 2015 foi considerado pelos mais renomados educadores do país como um dos melhores, senão o melhor de todos os tempos. Tive o privilégio de fazer parte do grupo que participou das provas deste Enem. Isso mesmo, neste ano eu tomei a iniciativa de participar do concurso. A minha intenção não é a de passar, longe disso. Não me preparei, não peguei em um livro. Mas estava interessada em fazer a redação, testar meu poder de dissertar, argumentar, discorrer. 

Para a minha agradável surpresa, estive diante de uma prova primorosa, muito bem elaborada, de altíssimo nível. Um exame, de fato, para selecionar os melhores. Não haverá chances para os medíocres, para os de mente fechada, para os preconceituosos e, óbvio, para os despreparados!

Junto com os meus dois filhos, me aventurei neste processo de seleção considerado o maior do planeta, mas tão ignorado pela mídia, quase pé de página nos noticiários. Dão mesmo é importância para os que chegam atrasados. Ou então, como pude ler mais tarde, polemizam as questões elevando-as ao nível político-partidário. 

O ex-secretário de segurança do Paraná escreveu em sua página, que o Enem 2015 foi uma prova petista. Não fosse a seriedade desta acusação, eu teria caído na gargalhada. E depois disso pipocaram nas redes sociais os mais diversos tipos de piadas grotescas de pessoas que nem lá estiveram e que se acham no direito de dar palpite e saírem compartilhando asneiras no seus Facebook's da vida! É a ignorância seletiva dos direitopatas!

Acho que acabei de criar um neologismo. Sim, porque esquerdopatas eu já li várias vezes, mas quando se trata dos seguidores da "social democracia", não vi ainda palavra alguma equivalente à doença instalada nos seus psicóticos seguidores! 

Conheço um par de gente que adora abrir a boca para dizer que não são homofóbicas, que respeitam os direitos dos homossexuais e da comunidade LGBT. Contudo, na questão sobre uma citação de Simone de Beauvoir: "Não se nasce mulher, torna-se mulher", choveram as mais duras críticas à feminista francesa! Na minha compreensão, Simone não estava promovendo nenhuma campanha do tipo: seja gay! A ilustre autora referia-se, obviamente, à construção do feminino. O gênero é muito diferente do sexo biológico. Mas aí, meu caro, é preciso leitura de mundo! Gente fechada na casinha jamais irá compreender a profundidade das palavras desta mulher de vanguarda! 

Sobre essa gentinha hipócrita que arrota preconceitos sobre Simone de Beauvoir, tenho um conselho: não viagem para Paris! Ou para nenhum lugar da França! Porque Paris é a cidade luz não por ter a Torre Eiffel iluminada (como pensam os ignorantes), mas porque foi o berço do iluminismo - das novas ideias! E tem mais! Acusaram as questões de serem esquerdistas porque abordaram temas polêmicos, como a cultura indígena, o estado laico (teve concorrente que se negou a fazer a questão da "macumba", como foi chamada... 'risos'), a construção da igualdade de gêneros, sobre o povo nordestino e a valorização da linguagem regional e, para fechar com chave de ouro, um tema espetacular de redação: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira.

Ah, neste momento eu abri um sorriso de orelha a orelha! Que grande sacada! Como terá sido a redação dos machistinhas de plantão? Os machistas homens e as machistas mulheres - para mim, as piores. Será que xingaram a Dilma de vaca? Porque isso é violência moral! Será que disseram que 'um tapinha não dói'? Ou, quem sabe, recomendaram que mulher precisa de rola (imitando Ricardo Boechat, o mito)? Lembraram-se dizer que o útero é laico? Que a mulher faz dele o que bem entender? Que cada mulher tem o direito de apropriar-se do seu corpo do modo que bem quiser? Que o Eduardo Cunha está com um projeto que obriga uma mulher que sofre estupro a passar por exames médicos para comprovar o abuso? Hum... Será? 

Quando o resultado das provas saírem, vou postar a minha redação! E também divulgar a minha nota. Não espero muito, eu já alcancei o que queria - participar deste evento nacional de magnitude ímpar! Já dei a minha contribuição. O importante mesmo é que meus filhos passem. Eles estão começando a vida! Eu, já de meia idade, estou na vida para entrar na brincadeira! Eu penso fora da casinha... Eu não sou uma esquerdopata! Eu sou uma mulher que de fato convive e respeita as diferenças. O resto, bem... Ao resto resta o Facebook! Só lamento!

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Além do Tempo

- Você sabe rezar? Reza comigo... Tem que ter fé!
- Eu não acredito num Deus que parece se divertir com o sofrimento humano.
- Eu sei o quanto está sofrendo... Eu sinto muito, me dói muito vê-lo assim. Queria tanto que
fosse diferente... Que tudo fosse diferente.
- Que Deus é esse, Lívia, que parece se divertir...Que permite que os que se amam se separem... Que permite que você, que eu amava... e que ainda amo!

                                                      Clique aqui para ler sobre o último capítulo
Foi assim, com estas palavras, que terminou a primeira fase da maravilhosa novela Além do Tempo! Eu fiquei emocionadíssima com a cena, com o diálogo que, na verdade, fora de um capítulo bem anterior a este, e com a música da deliciosa banda The XX - Together! Depois, vim a saber que o país inteiro se emocionou com a trágica morte dos protagonistas Lívia e Felipe! 


Toda a novela é linda! Os atores estão impecáveis! As locações, a trilha sonora, a poesia dos textos, a beleza exuberante de Alinne Moraes! Meu Deus, precisava ser tão linda, mulher! E não é só ela, tem a estonteante Paolla Oliveira e a exótica Letícia Persilles (Anita). Vou incluir também o gigantismo da interpretação de Irene Ravache (Condessa Vitória Castelini) que está um show à parte! Ah, sejamos sinceros, o elenco é um deslumbre: Nívea Maria, Louise Cardoso, Rafael Cardoso, Luís Melo, Michel Melamed, Othon Bastos, Felipe Camargo, Júlia Lemmertz, nossa! Sem contar os novatos que interpretam o Roberto, o Pedro, o Raul, a Bianca, a Ritinha, a Severa... Todas as crianças estão sensacionais - Alex, Felícia e Chico! 


Agora, com o início da segunda fase, resta-nos torcer para que o sucesso continue, para que a história não se perca e que possamos ter, todo dia um pouquinho, o direito de ligarmos a TV e assistirmos a um programa de qualidade, a uma história que nos faça sonhar... Acho que vou sentir mais saudade das músicas do que da história de época. Quando tocava sinônimos, de Zé Ramalho, era algo mágico. E também O silêncio das estrelas, de Lenine; Nós dois; Tocando em frente... Nossa, uma coletânea de preciosidades! E já começou bem a segunda fase com Coldplay a sky full of stars! Imagina o que vem por aí!


 No último capítulo da primeira fase, alguns desfechos ficaram em aberto. Mas foi bacana de ver: Condessa Vitória e Zilda sozinhas no casarão; a partida de Doroteia e Roberto para Porto Alegre; Bianca e Salomé com a promessa de conhecerem Paris; Rosa dando um basta em Bento - que ficou sozinho; a triste separação de dona Gema e seu Raul; Afonso e Anita apaixonados; Bernardo e Emília recomeçando a vida... Foi triste de ver: Melissa empurrando Lívia do Penhasco; Pedro matando Melissa; Pedro negando ajuda a Felipe e Lívia e o golpe final, Pedro afundando a lança no peito de Felipe, que cai do penhasco junto com Lívia... Aí, o final já está descrito acima!


"Que o nosso amor pra sempre viva, minha dádiva, quero poder jura que essa paixão jamais será... palavras apenas, palavras pequenas... Palavras"

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Divagações Sobre o Nada


Qual é a maior crise que estamos vivendo? Podemos enumerar várias: a crise ética, a crise financeira, a crise política, a crise social. Mas, em dias de grandes turbulências, eu fico aqui pensando que a maior das crises é aquela que travamos conosco! Já não sabemos como agir corretamente. Baseados em quais parâmetros podemos deixar de ser nós mesmos para agradar o outro? Uma crise existencial de proporções astronômicas. Certo e errado. Bom e mau. Rico e pobre. Preto e branco. Pois bem... Estamos à mercê das polaridades. Não existe mais o caminho do meio, a terceira alternativa. As relações estão desgastadas. Eu me sinto desgastada de ver tanta gente à minha volta dilapidando a paz dos outros. Dilapidando a minha paz! Como não somos indivíduos isolados no mundo, uma vez que vivemos em sociedade e precisamos permutar o tempo todo com outros indivíduos, cai-nos, por ora, um peso sobrenatural sobre os ombros! E seguimos arrastando correntes, com tudo aquilo que trava nossos passos, que podam nossas asas. E seguimos envelhecendo, caducando das nossas ideias, abandonando nossos projetos em prol de um bem maior - um bem que envolve pessoas que amamos. A vida é isso, amigo: toda escolha pressupõe uma renúncia. Sigamos, pois.

sábado, 10 de outubro de 2015

O Dia Dez do Mês Dez


Hoje é sábado. Está um dia lindo lá fora, um céu limpo e azul. As flores brotando na jardineira, a temperatura elevadíssima em plena primavera. Já estou curtindo a semana do feriado prolongado- o dia das crianças e o dia do professor. Já se passaram dez dias do mês de outubro e esta é a primeira vez que consigo me sentar diante do monitor para escrever alguma coisa referente a ele. Então, outubro é emblemático.  Nas redes sociais rola a campanha do outubro rosa - combate ao câncer de mama! Os face-amigos mudaram suas fotos, estão todos na infância... Alguns, irreconhecíveis! 

Desenrola-se, também, a eterna e duradoura campanha contra Dilma, o impeachment. Já está fazendo um ano, hein... Bodas de Papel! Ah, estão investigando o líder do congresso, o Eduardo Cunha, e suas contas na Suíça. Vai dar nada para ele! Assim como nada acontece àqueles da oposição, citados no esquema de delação premiada. Partido blindado é outra coisa! Cresce também o ódio dentro e fora da internet. Precisou de uma mulher ser eleita para a presidência do país para eu me dar conta de quão machista somos. Que os homens são assim, já era sabido. Mas, descobrir que pessoas congêneres incitam o ódio à figura da líder desta nação, é algo assustador! Conheço, por ouvir e por ler em alguns perfis do Facebook, mulheres com tamanho ódio e desprezo pela figura da Dilma que chega a me dar medo. Algumas delas são até bem esclarecidas. A maioria vive bem. São as revoltadas online! Às vezes eu começo a rir e, se freudiana eu fosse, diria que são viúvas de Aécio. Na verdade, mantém secretamente um sonho amoroso com bem apessoado político dessas bandas de Minas. Que gente vazia, meu Deus! Não vejo a hora disso tudo acabar, que seja pelo impedimento, renúncia ou em 2018! Isso se não der merda, né! "Like" Getúlio, Juscelino, Tancredo... 

Bom, acho que fiz um pequeno desabafo! Outubro é um mês bom. Quando ele acaba, o ano acaba com ele. Num piscar de olhos! Vem aí o horário de verão para deixar nossos dias maiores e piorar a sensação de calor! Também começam as decorações de Natal. As lojas se enfeitam, a cidade se ilumina... Estamos chegando ao fim... Espero que esta avalanche de acontecimentos não nos impeça de acreditar, não nos sufoque e, muito menos, nos cegue! Afinal, como diz Alcione: "O sol há de brilhar mais uma vez"!

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O U T U B R O

Outubro vem do latim e significa octo. No antigo calendário romano correspondia ao oitavo mês.


01-Dia de Santa Terezinha
03-Dia das Abelhas
04-Dia da Natureza
04-Dia de São Francisco de Assis
05-Dia das Aves
12-Dia de Nossa Senhora Aparecida
12-Dia das Crianças
15-Dia do Professor
29-Dia Nacional do Livro
31-Dia das Bruxas
31-Dia do Saci

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Não Sou Obrigada


Você não é obrigado a nada. Você não precisa casar, nem ter filhos, se nunca desejou. Nem fazer compras em Miami. Não precisa ter aquela bolsa marrom, não precisa ter carro, nem amar bicicletas, não precisa meditar. Só precisa ter cachorro se quiser. Entender de vinho: não precisa. Barco, casa no campo, Rolex, ereção toda vez, cozinha gourmet, perfil no Instagram... Não precisa. Você não é obrigado a gostar de carnaval, nem de samba, nem de forró, nem de jazz. Você não é obrigado a ser extrovertido. Não precisa gostar de praia. Nem de sexo você é obrigado a gostar. Balada, barzinho, cinema. Missa no domingo. Reunião de família. Não, você não é um ET se não estiver afim. Acordar cedo, fazer exercício, conhecer os clássicos, assistir os filmes do Oscar, a banda de garagem que ninguém conhece. Você também não precisa conhecer Paris, Nova York, Londres... Gosta muito de viajar? Não? Então não vá! Tá sem namorado? Alguém vai dizer que você não é feliz por isso. E é mentira. Seu cabelo não precisa ser alisado. Nem você vai ser muito mais feliz se for magro ou magra. Também não precisa gostar de comer. Peça curinga no guarda roupa, perfume francês, dentadura perfeita, curriculum vitae, escapulário. Sucesso. Não, você não precisa dele. Se for pra ser obrigado, nem feliz você precisa ser.

Nelson Barros

domingo, 20 de setembro de 2015

Não Vou Mais Lavar os Pratos

Um poema arrebatador!


Nem vou limpar a poeira dos móveis
Sinto muito. Comecei a ler
Abri outro dia um livro e uma semana depois decidi
Não levo mais o lixo para a lixeira
Nem arrumo a bagunça das folhas que caem no quintal
Sinto muito. Depois de ler percebi a estética dos pratos
a estética dos traços, a ética
A estática
Olho minhas mãos quando mudam a página dos livros
mãos bem mais macias que antes
e sinto que posso começar a ser a todo instante
Sinto
Qualquer coisa
Não vou mais lavar
Nem levar.
Seus tapetes para lavar a seco
Tenho os olhos rasos d'água

Sinto muito
Agora que comecei a ler, quero entender
O porquê, por quê? E o porquê
Existem coisas
Eu li, e li, e li
Eu até sorri
E deixei o feijão queimar...
Olha que o feijão sempre demora a ficar pronto
Considere que os tempos agora são outros...

Ah,
Esqueci de dizer, Não vou mais
Resolvi ficar um tempo comigo
Resolvi ler sobre o que se passa conosco
Você nem me espere. Você nem me chame. Não vou
De tudo o que jamais li, de tudo o que jamais entendi
você foi o que passou
Passou do limite, passou da medida, passou do alfabeto
Desalfabetizou

Não vou mais lavar as coisas e encobrir a verdadeira sujeira
Nem limpar a poeira e espalhar o pó daqui para lá e de lá para cá
Desinfetarei as minhas mãos e não tocarei suas partes móveis
Não tocarei no álcool
Depois de tantos anos alfabetizada, aprendi a ler
Depois de tanto tempo juntos, aprendi a separar
Meu tênis do seu sapato
Minha gaveta das suas gravatas
Meu perfume do seu cheiro
Minha tela da sua moldura

Sendo assim, não lavo mais nada
e olho a sujeira no fundo do copo
Sempre chega o momento
De sacudir, de investir, de traduzir
Não lavo mais pratos
Li a assinatura da minha lei áurea escrita em negro maiúsculo
Em letras tamanho 18, espaço duplo

Aboli
Não lavo mais os pratos
Quero travessas de prata, cozinhas de luxo
E joias de ouro
Legítimas
Está decretada a lei áurea

Cristiane Sobral

domingo, 13 de setembro de 2015

Mês Nove


Já se passaram treze dias do mês de setembro! É assim... setembro voa! E esse ano ele começou atípico, meio cinza, chuvoso. Trouxe notícias tristes como a explosão do número de refugiados da guerra na Síria atravessando o mediterrâneo e morrendo no mares, aos montes, antes de chegarem à Europa em busca de uma nova chance! 

Já é quase meio de setembro... Daqui a pouco ele se vai! Mas antes quero ver o ar da graça do sol brilhando, as flores brotando e os corações apaziguados. Paz para setembro!

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Aylan Kurdi . . .


Sobre a imagem que correu o mundo hoje... do menininho de três anos morto no naufrágio durante a travessia para a Europa: Menino sírio, você é o símbolo de todas as crianças que não tiveram a oportunidade de crescer, seja de qualquer parte do planeta, cor e classe social. Menininho, dorme agora. O mundo anda tão estranho.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Que bom você chegou . . .

Ah... Chegou! Enfim, setembro! Que venha lindo, chique, alegre, romântico, florido, cor-de-rosa-algodão-doce! Energias positivas para todos nós no mês mais lindo do ano!

S E T E M B R O

O nome setembro tem origem no latim - septem - que significa sete. No calendário romano antigo, era o sétimo mês do ano. 


05  - Dia da Amazônia
07  - Independência do Brasil
08  -Dia Internacional da Alfabetização
17  - Dia da Compreensão Mundial
19  - Dia do Teatro
21  - Dia da Árvore
23  - Início da Primavera
         Dia do Sorvete
27  - Dia de Cosme e Damião

domingo, 30 de agosto de 2015

Desgosto

Não escrevo em agosto porque não gosto de agosto! Ainda bem que já está acabando. Parece que tem 8 anos que estamos neste mês insuportável!

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Aprendizado

Aprendi a importância da humildade com os soberbos; do perdão com os agressores; do silêncio com os maledicentes; da discrição com os invejosos... Afirmo que, por mais dolorosas que tenham sido essas lições, elas me ensinaram a ver oportunidades do aprendizado em todas as situações.


Lígia Guerra

domingo, 9 de agosto de 2015

O Dia do Vazio

Eu costumo dizer que o dia dos pais é o dia do vazio... O vazio das lembranças - pois, só existem lembranças quando momentos aconteceram: fins de semana no parque, balanço, escorregador, roda gigante; cinema, pipoca, algodão doce; reuniões na escola; presente de aniversário; a Páscoa, o Natal e o Ano Novo. Sem momentos, sem lembranças... É o dia do vazio do abraço, do vazio do laço desfeito ao longo dos anos... Virou nó de marinheiro. O dia dos pais é celebrado por muitas famílias que conheço com muita alegria e festividade. Em mim, o dia dos pais é uma vaga lembrança da ausência.... Um borrão no retrato da infância. Uma mão que segura o coração. A dureza de um diamante... Um olhar cortante como lâmina... O dia dos pais converge em todos os outros dias em que nada aconteceu além do nome que consta na certidão de nascimento. Um dia cinza como o mês de agosto. 

sábado, 1 de agosto de 2015

A G O S T O

Originalmente chamado de "Sextilis", o sexto mês do ano, agosto entrou no calendário em 8 d.C. para homenagear o primeiro imperador  romano Cesar Augustus.


05  - Dia Nacional da Saúde
09  - Dia dos Pais
11   - Dia do Estudante
15   - Assunção de Nossa Senhora
22   - Dia do Folclore
25   - Dia do Soldado

domingo, 26 de julho de 2015

Dia da Mãe com Açúcar - Vovó

Na casa da vovó tem um pé de laranja da terra... tem um pé de acerola, um pé de caqui, um arbusto de alecrim... tem florzinhas, besourinhos, joaninhas. Tem uma orquídea solitária, uma casinha verde-clara e um céu azul de saudade! 

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Conserto Para Uma Alma Só


Não lute mais
Descanse
Não dê força para seus inimigos
Vença-os com o perdão
Não cultive a impaciência
Vença a com a segurança
Não delapide a paz dos outros
Coopere com o silêncio
Não se afaste do seu coração
Una-se a si mesmo
Não dê trelas aos problemas
Vença-os com a luz interior
Não coopere com as críticas
Supere-as com seu desprezo
Não se deixe vitimar
Assuma sua liberdade de escolha
O bem é saber
que o único meio de vencer
É usar a inteligência
com compaixão
Por isso não lute mais
Descanse

Luiz Gasparetto

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Campos do Jordão

Lindos os dias que passamos neste cidade chiquérrima, lindíssima e poética! Campos do Jordão é toda superlativa! Já sinto saudades!!!

16 a 21 de julho

domingo, 12 de julho de 2015

My teacher Kanako

This is Kanako... my intelligent, young and japanese teacher! I am grateful for all things that she did for me in English's classes. Kanako always keeps a good mood and a beautiful smile in her face. Besides, she is patient and she likes to take care of all her students. The semester ended. I will miss her. But I believe that Kanako will be always in our minds and our hearts. Thank you, dear teacher. You are awesome!

sábado, 11 de julho de 2015

Flor de Junia


Minha aluna Junia Leonardo me presenteou com esse deslumbre de flor! Uma orquídea azul...  Um gesto de carinho e de reconhecimento... Adoro as minhas crianças!

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Para Irandhir Santos

Hoje, ao abrir o blog, me deparei com o comentário de Tata Rezende sobre um post que fiz para Zelão, o inesquecível personagem de Irandhir Santos na novela "Meu pedacinho de Chão". Achei que foi mais do que um comentário - foi um depoimento. E, por isso, decidi deixá-lo aberto para que todos possam ler, apesar de não conhecer a autora. Quem sabe um dia o ator possa tomar conhecimento destas escritas todas para ele!  Abaixo, o que escreveu Tata:


O personagem Zelão foi a porta que abriu para que eu entrasse e conhecesse uma pessoa muito especial que não canso de admirar. Iran é um ser humano bonito por dentro e por fora. Calmo, de fala mansa, tranquilo, e dono de um sorriso lindo (nunca vi ninguém sorrir com todo esse poder). Elegante quando quer , charmoso, encantador, sedutor, feiticeiro e fascinante, porem é simples , sem luxo ou estrelismo se mistura com o povo e gosta de ficar no meio do povo. Tem seus ideais e luta pelas causas dos mais carentes e injustiçados e não esconde isso veste a camisa vai as ruas e grita.

Dá pra ver que ama sua família e vive muito bem com eles e é todo carinhoso com os pais que deve mimá-lo bastante pois é o caçulinha.

No fundo de seus olhos tem uma certa tristeza que ele tenta esconder, mas na hora de atuar são olhos expressivos falam por si só. Atuar, nasceu pra isso, nos encanta com seus personagens trazendo junto deles uma riqueza de detalhes, de gestos, de proza, um conjunto de pequenos encantos que nos encanta. Consegue ser mil pessoas diferenciadas que não conseguimos ver nelas o Iran, apenas o personagem, muda como um camaleão, mostrando assim seu talento nato, especial e quase divino de tão perfeito. Não tenho duvidas que ele recebeu esse talento do alto, de Deus, não tenho outra explicação. Ama seu trabalho e se entrega de coração, de corpo e alma, dedicado e perfeccionista e por isso rodeado de prêmios ganhos merecidamente a olhos vistos sem duvida alguma pois nas telas e nos palcos se torna um Gigante.

Tem seus erros (graças a Deus que tem ) e acertos sempre a sua frente e assim vai passando pelo caminho deixando coisas boas para quem o encontrar. É especial, um ser humano que vale a pena conhecer, um ser humano que soma, mesmo de longe consegue tocar as pessoas com os sentimentos mais lindos e ternos. Fui tocada pela simplicidade que ele passa em suas entrevistas mesmo sendo uma pessoa culta e de uma família rica. 

Iran, foi muito bom te conhecer, foi especial mesmo, você somou muitas coisas boas na minha vida, chegou em um dia lindo e deixou meus dias ensolarados. 

Desculpe meu português pois nunca tive a sorte de ter bons professores mas na Matemática sou expert , eu somei as alegrias que você me deu com a fantasia de seus personagens, subtraí as minhas dores e multipliquei pelo amor que sinto por você, resultado sobrou um sentimento especial que ainda não sei explicar mas que me faz muito bem. 

Da amiga que você não conhece mas sabe que tem.

terça-feira, 7 de julho de 2015

Saudades Cazuza

25 anos sem o poeta! Minha geração cresceu ouvindo Cazuza... Ah, cara! Como você estaria hoje, cinquentão? Cazuza moderno, contemporâneo, imitado... Cazuza jamais esquecido!


"Dias sim dias não, eu vou sobrevivendo sem um arranhão da caridade de quem me detesta... A tua piscina está cheia de ratos, tuas ideias não correspondem aos fatos... O tempo não para!"

domingo, 5 de julho de 2015

Projétil de Lei - Luiza Romão


Brasil,
Tu te tornas eternamente responsável
Por aquilo que pões em cativeiro
Da FEBEM ao navio negreiro

Eu sei que assusta
Perder seus privilégios
Somos o plano europeu que não deu certo
Mas alerto:

Reduzir a maioridade
Não é questão de segurança
Isso é extermínio de criança
É genocídio de classe
Do moleque roubar o passe
Tirar a bola
É oferecer prisão e não escola
Tratar educação com escolta
Então solta
Larga o osso
Que agora não tem almoço
É fácil comer o pão
E o diabo ser o outro
Mas cai do nosso rosto
O suor de todos os dias
Tu quer ser gigante, Brasil?
Então lembra do Golias

O poder gestado pelas mãos da minoria
No país da escravidão
Ainda é branca a democracia
É a bancada da bala
E seus projéteis de leis:
Onde já se viu
Tornar-se adulto aos dezesseis?

Diga aí vocês:
O país seccionado
E a fratura está exposta
Nossa bandeira não é a mesma
Nem durante a copa

São alienistas e alienados
Querem o Brasil-condomínio fechado
Têm sangue nas mãos
E agora nos olhos
Mergulham a bíblia numa poça de ódio

Sabe,
Meritocracia é fácil
Pra quem já nasceu no pódio

Por detrás dos discursos, investimento:
São células transformadas em cédulas
Empresa de presos

Desprezo
Por qualquer matéria humana
Cunha, eu sei quem financia sua campanha
Você quer o quê?
Ser o novo Franco da Espanha?

O golpe é certeiro:
Tu quer cercar a casa grande
E pôr três porteiros?

Mas, cuidado
Com quem coloca em cativeiro.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

J U L H O

O sétimo mês do ano correspondia, na antiguidade, o quinto mês e era chamado de Quintilis. Ao contrário dos seis primeiros meses que homenageiam entidades pagãs, julho é uma homenagem ao imperador romano Júlio César.


02 -  Dia do Bombeiro
10 -  Dia da Pizza
13 -  Dia Mundial do Rock
14 -  Dia da Liberdade do Pensamento
20 -  Dia Internacional da Amizade
25 -  Dia do Escritor
26 -  Dia dos Avós

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Prison Break - 10 anos


Eu não saberia dizer qual foi a série pioneira de grande sucesso nos Estados Unidos, mas, certamente, Prison Break está dentre uma das melhores que já assisti. A saga dos irmãos Burrows e Scofield será inesquecível para mim! A Netflix disponibiliza as quatro temporadas e isso tem facilitado para muitos fãs um revival deste premiadíssimo seriado norte-americano. Eu mesma terminei de assistir há poucos dias todos os oitenta episódios. Ufa! Exaustivo, mas valeu a pena!

Dez anos depois da exibição da primeira temporada, em 2005, Prison Break continua atual e emocionante. Quem não se encantou pelos olhos enigmáticos de Michael Scofield, do ator Wentworth Miller ou ficou zangado com marrento e estúpido Lincoln Burrows? O que tereia sido desta série sem T-Bag nas quatro temporadas? Um tédio! Sim, o vilão é um dos mais carismáticos personagens de PB. 

Falar de Fernando Sucre, Abbruzzi, C-Note, Bellick, Sara Trancredi é irrelevante. Eles foram secundários desde o início e, na minha opinião, Prison Break não deveria ter tido quatro temporadas. O encanto e a atmosfera do medo, do plano de fuga, da entrega de Michael para tirar o irmão da cadeia, morreram na primeira temporada. O que vem depois é uma grande enrolação, uma sucessão de episódios com erros às vezes grotescos. 

Acredito que a série devesse ter acabado com a fuga dos oito detentos de Fox River e ponto. Depois, poderiam ter feito um spin-off contando o desfecho de cada um, como também os personagens principais conseguiram se ver livres das acusações que lhe foram imputadas. Burrows e Scofield sendo inocentados e um final feliz para cada um deles.

Mas, em se tratando de uma obra com grande apelo comercial, esticaram Prison Break até a quarta e sofrível temporada. A terceiram, então, um horror! Totalmente dispensável. Colocaram Michael em uma prisão no Panamá chamada Sona. Um arquétipo do inferno aquilo lá. Horrível de ser ver, de acompanhar, de pensar como Scofield estava novamente às voltas para libertar outro preso totalmente insignificante que veio a morrer no primeiro episódio da quarta temporada. Ou seja, perda de tempo! O cara não serviu pra nada, só pra enrolar os telespectadores!

Muitos personagens morreram no decorrer do seriado. Era como matar formiga, já estava ficando sem graça e previsível. A tal "Companhia", uma espécie de poder paralelo, guardava o segredo da Scylla - um aparelho tecnológico que armazenava todo o segredo de como mudar o mundo! Scylla era um projeto para substituir o uso de combustível fóssil, dessalinizar a água do mar, descobrir novas vacinas e tratamentos avançados para doenças graves. Enfim, uma máfia detinha o poder sobre Scylla, mas o mundo inteiro a queria. E aí ficou uma brincadeira de gato e rato. 

E, para piorar, fizeram um filme chamado "O Resgate Final" que é uma variável do último episódio, um final alternativo, podemos assim dizer. Queria ter ficado mesmo com a lembrança do túmulo de Scofield coberto por flores e pelo emblemático pato de origami. Queria mesmo é que Michael não tivesse morrido. Adoraria tê-lo visto com Sara e o filho, em alguma praia paradisíaca, longe da polícia, da máfia, da Companhia e do irmão encrenqueiro. 

A lápide de Scofield mostra que ele morreu no dia 11 de abril de 2005. Um ano após sua entrada na prisão de Fox River. E seu epitáfio foi uma frase que ele disse para a dra. Sara Trancredi no início da primeira temporada: "Seja a mudança que você quer ver no mundo". Gandhi.

Vejo que caí em contradição quando disse no primeiro parágrafo que Prison Break foi uma das melhores séries que já assisti para logo depois desejar que ela tivesse terminado na primeira temporada. É que, no frigir dos ovos, valeu a pena mesmo ter acompanhado Michael e sua trupe por quatro anos. Mesmo sabendo que a verdadeira história se esgotou no vigésimo segundo capítulo. Por tudo isso, Wentworth Miller entrou para a galeria dos meus heróis favoritos de todos os tempos!

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Bodas de Crisopázio

É quando um casal comemora 27 anos de casados. Então, estamos fazendo Bodas de Crisopázio, uma pedra verde, linda e mística. No passado, ela já foi vista como a pedra que facilitava ao homem o “conversar” com répteis, como cobras e lagartos. Ela pode ser auxiliar no tratamento do câncer, pois sabemos que este é proveniente do acúmulo de mágoas do passado e das barreiras dos problemas emocionais “mal resolvidos”. Atuando sobre o perdão e sobre as intransigências, ela vai assim curando o coração, seu principal porto.

Misticismos e poderes à parte, o que faz uma união durar tanto tempo nos dias de hoje, nada mais é do que muita persistência, coragem, parceria, companheirismo, afeto. E isso, temos de sobra! Parabéns para nós!


quarta-feira, 24 de junho de 2015

Hater


Hater é uma palavra da língua inglesa designada para explicar o comportamento de ódio nas redes sociais e na internet como um todo. Um hater é aquele indivíduo que sempre posta um comentário ofensivo, desrespeitoso, desnecessário, preconceituoso, carregado de rancor, ira, desconhecimento, antipatia e muita maldade. 

Quem nunca ziguezagueou pelos sites da vida e não se deparou, nos debates, com palavras de ordem do tipo "Fora", "Eu Odeio", "Corja", e mais recentemente, pichado na calçada "Morra, Jô Soares". 

Não acredito que os haters sejam apenas os indivíduos reacionários neo-pentecostais, neo-direitistas, homofóbicos, machistas dentre outras classificações; esses que têm matado em nome da intolerância religiosa, que apregoam a morte da presidente Dilma e de seus simpatizantes famosos (Jô Soares, Gregório Duvivier, Chico Buarque, etc.). Sei também, porque leio, que há do lado dos ditos esquerdistas muitas pessoas com ódio, bradando ódio, respirando e respingando ódio por onde passa. 

Dito isso, quero deixar claro que não são siglas de partidos políticos ou nomes de lideranças religiosas os únicos a destilar veneno e poluir a atmosfera com a negatividade vinda de seus valores distorcidos. Pessoas comuns, escondidas por detrás de um monitor, de um nickname ou do nome real é que estão fazendo este estardalhaço por acreditarem que a única verdade é aquela em que elas acreditam. O outro está sempre errado.

Um certo sujeito, que foi secretário de segurança pública do Paraná,  tem uma página no Facebook. Através dela, ele pulverizou tamanho ódio durante a campanha presidencial que chegou ao ponto de várias pessoas que conheço romperem a amizade por conta dos compartilhamentos acintosos. Esse mesmo sujeito coordenou o maior massacre contra professores da história deste país. Similares à sua página temos outras dezenas. Você sempre acaba lendo um post de uma comunidade hater

O que aconteceu com o tal sujeito ex-secretário de segurança pública do Paraná? Foi exonerado. Caiu. Mas sua página está lá. Continua um hater. E a respeito dos professores? Pedra sobre o assunto. E a respeito da corrupção no futebol? Pedra sobre o assunto. E a respeito do helicóptero com 450 quilos de cocaína pelas "bandas" de Minas? Pedra sobre o assunto. E o aeroporto de Cláudio? E o mensalão tucano? E a falta de água no estado de São Paulo sob a tutela do PSDB? Pedra sobre o assunto. Seletivo este ódio, não?

A Dilma é a nova Geni. Jogam pedra na Geni. Jogam bosta na Geni. Ela é feita pra apanhar, ela é boa de cuspir. Maldita Geni! Então... Antiga e moderna a composição de Chico. Aliás, rico não pode gostar do PT. Só pobre. Se Chico apoia Lula e Dilma, Chico tem que ir pra Paris, porque ele tem um apartamento lá. Coube ao atual governo ser defenestrado não só pelos que se acham ricos, mas também por aqueles que recebem benefícios sociais. Dilma está com um alto índice de reprovação. E eu acredito nas pesquisas! 

Sim, de cada dez pessoas que eu converso, onze querem que a cabeça dela role! Acredito que a presidente não vá terminar este mandato. Posso até apostar que não passa deste ano. Eu já falei disso aqui no blog durante a campanha. Era muito ódio. E o ódio só está aumentando. Vamos imolar a chefe da nação. Vamos defenestrá-la, açoitá-la, guilhotiná-la. Mas o segundo colocado não será o substituto. Aliás, há quem morra de amores-cego pelo senador mineiro. Ele nunca tem culpa. É isento. Um lorde! 

Como diz um conhecido meu - um terrorista, é o que ele é! Bom, mas falar deste político magnânimo, impoluto, ficha branca, o arauto da mudança, é muito perigoso. Sabemos que não é blindado somente pela imprensa, mas também pelos seus fanáticos seguidores que inflam seus peitos e discorrem palavras maravilhosas sobre o sujeito. E uma vez eu ouvi  de uma pessoa muito inteligente o seguinte: "Não discuto com Jesus e não discuto com advogados. Causa perdida." 

Por isso eu tenho  achado este nosso momento muito estranho. A atmosfera está pesada. Não há clima para comemorações. Parece que estamos à beira de uma tragédia anunciada. Evidente que muitas já ocorreram depois destas eleições - o massacre dos professores do Paraná; o assassinato de homossexuais; a depredação de templos católicos, de umbanda, do candomblé; o apedrejamento da garota que frequenta um terreiro... Sim, leitores. Estamos respirando ódio. Virou nosso oxigênio. O combustível que dá a vida. 

Tornamo-nos intolerantes. Todos nós. Porque não conseguimos ouvir o que o outro tem a falar. Só atacamos. E nos envenenamos com os gases lacrimogêneos, com os porretes e cacetetes; estamos indo à falência dos órgãos, ficamos cegos. E com a dosagem diária de ódio temos ficado também atrofiados. Deixamos de estender a mão, paramos de nos abraçar. Somente os dedos continuam a funcionar em pleno vapor. Digitamos palavras envenenadas. Escrevemos ódio o tempo todo. Chegaremos ao colapso, em breve. 

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Eu . . . Eu Mesma !

Meu blog é um nada. Ele não está a serviço de ninguém, além das minhas próprias vontades e ideias. Meu blog é um espaço vazio. Aqui encontram-se divagações acerca da livre manifestação do meu pensamento. Ele não é preenchido por propagandas e nem financiado por quaisquer partidos políticos ou empresa, seja ela pequena, média ou grande. Grandiloquência, se é que existe, está pautada nos meus exageros, nas hipérboles sentimentais de contornos dramáticos astronômicos. Sim, sou hiperbólica, exagerada, metafórica, ilustrada, recheada por camadas de poesia, comédia e drama. 

Minha sinceridade é meu açoite. De dia falo. À noite, esmoreço. As chibatadas ressoam madrugada adentro. Perco o sono, perco o pranto, mas não me perco. Na sequência dos dias amanheço e anoiteço sem ter dormido. O barulho é intenso. Uma sirene a dilacerar os ouvidos. A vida vai assim seguindo e eu... Eu vou caminhando entre a linearidade dos passos retos e firmes que contrastam com a embriaguez desacelerada das pernas cambaleantes. Insone, inquieta, semirreta que somente tem ponto de origem, mas não sabe onde vai chegar.