terça-feira, 26 de abril de 2016

Poeminha do Contra


Todos esses que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

Mário Quintana

sábado, 23 de abril de 2016

Com os pés fora do chão


Pense numa semana do cão. Agora multiplique isso por mil. Pois é, foi o que eu vivi. Particularmente, por alguns problemas de saúde e também por desentendimentos com amigos e familiares devido a divergências políticas. Nada mais será como antes. Nem o nosso país, nem as nossas amizades. Eu vivi para ver pessoas próximas e queridas tornando-se inimigas por visões contrárias ao momento político pelo qual estamos passando. 

Estava falando para o meu marido que ele parou de fazer comentários no blog. Então, ele me disse que o tom das mensagens está muito melancólico, triste. Verdade, está certo. Também, desde janeiro tenho vivido experiências duríssimas. A perda do meu avô me deixou totalmente descompensada, sem chão. E a vida vai assim, dia após dia alguns problemas surgem para nos aborrecer, nos testar, nos fazer crescer. 

Às vezes eu penso em tantas coisas para escrever, mas quando me vejo diante do monitor as ideias somem. Necessito de inspiração para 'bloguear'. Não é só simplesmente vir até aqui, abrir uma página e começar a escrever a esmo. Se bem que tem horas que eu gostaria mesmo de fazer isso- escrever sem pensar. Todavia, eu já sou uma pessoa impulsiva e intempestiva para falar, então preciso me conter com a escrita, pois tudo que se escreve fica registrado. Palavras que depois não têm como serem apagadas.

Por ora, desejo apenas esquecer esta semana triste e pesada. Posteriormente, mais calma e centrada, quero falar sobre Dilma Rousseff e seu iminente impeachment. Eu não tenho esperança que o quadro vá se reverter. Mas aí, é uma outra história, um outro post. Deixa estar... dias melhores virão. Como diz o ingênuo personagem Candinho:"Tudo que acontece de ruim na vida da gente é pra melhorar". Tomara!

segunda-feira, 18 de abril de 2016

O impeachment e o diabo

Eu estou realmente sem condições psicológicas de escrever alguma coisa sobre o circo de horrores que nos foi apresentado ontem durante o processo de impeachment da presidente Dilma no congresso nacional.  Temo não estar diante da minha completa sanidade mental, pois às vezes tenho a sensação de que irei despertar de um pesadelo. E, diante deste quadro de confusão psíquica-emocional, não posso me dar ao direito de sair escrevendo asneiras, pois essas eu já as ouvi o suficiente dos congressistas brasileiros em uma noite triste de domingo, deste mês de abril. 

Poderia descrever esse momento através de um texto enorme, se tivesse condições para isso. Ou somente representá-lo através de uma imagem. Só que nada me vem à mente. É só um aperto no peito, uma dor misturada com medo, pavor, indignação, perplexidade. O choro está sufocado, embora eu saiba que uma hora ele vai sair e vai sair com força. Como dizia minha mãe quando eu era criança- engole, não chora! 

Estou assim, engolida por um gigante! Por um monstro vindo dos nossos piores pesadelos. Estou susceptível  a somatizar essa angústia no meu corpo. Sangrando por dentro, torturada como todas as mulheres maltratadas por homens feito Bolsonaro, o vampiro-mor da casa do povo. Um desprezível ser desumano capaz de homenagear um torturador... Depois disso tudo ainda há condições de dar algum parecer sobre o que houve ontem, dia 17 de abril de 2016? Não. Não mesmo. É o fim. 

sábado, 16 de abril de 2016

Resposta

Em paz eu digo que eu sou.... o antigo do que vai adiante
Sem mais eu fico onde estou, prefiro continuar distante...

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Marco Aurélio - Meditações


Começa cada dia por dizer a ti próprio: Hoje vou me deparar com a intromissão, a ingratidão, a insolência, a deslealdade, a má-vontade e o egoísmo. Parte da culpa é minha, que já percebi a natureza do mal e do bem do meu ofensor. E a natureza perversa do meu ofensor não pode ser combatida porque ele também é meu irmão, meu semelhante, dotado de humanidade e de divindade. Aquele com quem eu nasci para crescer e trabalhar junto, sem ter conflitos.

Marco Aurélio, Imperador Romano

terça-feira, 12 de abril de 2016

46

Alguns momentos para ilustrar a passagem do tempo... Mais um ano que virou e o que ganhei não foi só idade, peso e rugas... foram experiências também. Algumas delas, marcantes. Outras, dilacerantes. Aqui cheguei, aqui estou. Grata por mais este ciclo. A vida segue... 

domingo, 3 de abril de 2016

Como 2 e 2


Quando você me ouvir chorar
Tente não cante não conte comigo
Falo não calo não falo deixo sangrar
Algumas lágrimas bastam pra consolar
Tudo vai mal, tudo
Tudo mudou não me iludo e contudo
A mesma porta sem trinco, o mesmo teto
E a mesma lua a furar nosso zinco

Meu amor
Tudo em volta está deserto tudo certo
Tudo certo como dois e dois são cinco
Meu amor
Tudo em volta está deserto tudo certo
Tudo certo como dois e dois são cinco
Meu amor
Tudo em volta está deserto tudo certo
Tudo certo como dois e dois são cinco

Cinco

Ouça Gal Costa 
Música de Caetano Veloso

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Abril - Johnny Depp


Johnny Depp

Participou do seriado Anjos da Lei, na década de 80.
Sua beleza ímpar ainda é espetacular, aos 52 anos!