sábado, 23 de abril de 2016

Com os pés fora do chão


Pense numa semana do cão. Agora multiplique isso por mil. Pois é, foi o que eu vivi. Particularmente, por alguns problemas de saúde e também por desentendimentos com amigos e familiares devido a divergências políticas. Nada mais será como antes. Nem o nosso país, nem as nossas amizades. Eu vivi para ver pessoas próximas e queridas tornando-se inimigas por visões contrárias ao momento político pelo qual estamos passando. 

Estava falando para o meu marido que ele parou de fazer comentários no blog. Então, ele me disse que o tom das mensagens está muito melancólico, triste. Verdade, está certo. Também, desde janeiro tenho vivido experiências duríssimas. A perda do meu avô me deixou totalmente descompensada, sem chão. E a vida vai assim, dia após dia alguns problemas surgem para nos aborrecer, nos testar, nos fazer crescer. 

Às vezes eu penso em tantas coisas para escrever, mas quando me vejo diante do monitor as ideias somem. Necessito de inspiração para 'bloguear'. Não é só simplesmente vir até aqui, abrir uma página e começar a escrever a esmo. Se bem que tem horas que eu gostaria mesmo de fazer isso- escrever sem pensar. Todavia, eu já sou uma pessoa impulsiva e intempestiva para falar, então preciso me conter com a escrita, pois tudo que se escreve fica registrado. Palavras que depois não têm como serem apagadas.

Por ora, desejo apenas esquecer esta semana triste e pesada. Posteriormente, mais calma e centrada, quero falar sobre Dilma Rousseff e seu iminente impeachment. Eu não tenho esperança que o quadro vá se reverter. Mas aí, é uma outra história, um outro post. Deixa estar... dias melhores virão. Como diz o ingênuo personagem Candinho:"Tudo que acontece de ruim na vida da gente é pra melhorar". Tomara!