terça-feira, 28 de agosto de 2012

O que anda saindo da sua boca?

Um texto de Flávia Mariano



Uma das coisas que as pessoas mais esquecem quando estão super produzidas é que boca, além de estar bem pintada com batom da MAC, deve ser a transmissora de assuntos bacanas. Ela faz parte da fineza.

O que seria uma boca cafona?

- Mulher burra. Burrice não tem desculpa, quem vê jornal, lê livros e revistas consegue ficar muito bem atualizada e adquire o mínimo de conteúdo.

- Mulher que só fala de filhos, marido, cachorro e empregada. Algumas mulheres tem um mundo tão fechado (mesmo trabalhando fora) que acreditam que todas querem muito saber sobre sua vida amorosa e sua prole. Não! Não! Não!

Comentar sobre seu filho “que é o mais fofo do mundo” tudo bem, mas ficar babando por mais de 5 minutos é muito limitado, chato e cafona.

- Mulher que só fala da vida dos outros. Uma fofoquinha aqui, ali e um comentário maldoso acolá, quem não faz? Mas falar coisas que ultrapassem esse limite é cafona. Porque se a pessoa realmente te incomoda fale com ela ou cale-se para sempre. Afinal, de cafona e insuportável todas nós temos um pouco.

- Assunto repetitivo. Essa é mais uma questão de “vigiar a si mesma”. E eu me incluo aí. Se deixar eu estou sempre falando de Dilemas Femininos ou participando da rodinha dos homens que costumam ter papos de política, economia, viagens e num tom sempre muito prático, o que muito me atrai!

Mulheres juntas esquecem de falar de seus planos profissionais, conquistas, dissabores, derrotas. Sim, no meio disso tudo pode ter uma fofoquinha, uma dica de maquiagem ou uma palavrinha sobre o filho que aprender a fazer cocô sozinho. Mas nunca subestime o silêncio, ele é sempre o melhor amigo quando a melhor coisa que sua boca pode oferecer é o brilho de um batom caro e bem aplicado.

Ser uma pessoa interessante faz de você FINA - O que sai da sua boca é cafona?


Em qual categoria você se encaixou? Eu me vi um pouco em todas... Pois é, preciso policiar mais a minha boca =/ e refletir sobre o que anda saindo do meu coração.
(grifo meu)