sábado, 28 de dezembro de 2013

Pedra Flor Espinho - Acabou 2013


Enfim, acabou 2013! E junto com ele a época mais hipócrita do ano. Durante onze meses as pessoas vivem na mais completa falta de amor ao próximo, querendo que o outro tropece, quebre a cara e se dê mal. Passamos da janeiro a novembro sendo nós mesmos - fúteis, egoístas, manipuladores, fofoqueiros, maledicentes, julgadores. Bestas-feras desenjauladas! Podemos tudo neste período, somos quem somos! Estou colocando o texto na primeira pessoa do plural porque, evidentemente, se estou fazendo um post sobre hipocrisia, não posso me dar ao luxo de me autoexcluir! 

Aí chega dezembro! O clima natalino contagiando a todos, os enfeites a nos brindar os olhos com tanta beleza, os preparativos para a ceia. Todo mundo fica bonzinho, engole o orgulho - afinal, são somente 31 dias - pois a festa na casa do fulano, do beltrano e do sicrano será de arrasar! Presentes, muitos presentes! Iphones, X-Box, tablets... Boneca de pano, carrinho de madeira ninguém se lembra mais de dar... A joia mais preciosa, a roupa da mais cara grife, os sapatos Prada e Louboutin, as fragrâncias francesas tão disponíveis nas importadoras, uma verdadeira tentação! 

E nas redes sociais? Chovem mensagens cute-cute, so softs and sweets! Aqueles anjinhos, papais noéis, presépios, velas... e os dizeres, então? A criatura passa o ano inteiro sem curtir nem comentar nada do que você posta. Aí, vem aqueles aplicativos de presentes para árvores e, num toque de mágica natalina, a tal pessoa lembra que você existe. E te manda ursinho, velinhas, panetones (tudo virtual) para completar seu joguinho. Durante todo o ano não se lembrou ao menos do seu aniversário, data que fica exposta 24 horas no facebook. Não, para quê? Bobagem, quem se importa com uma postagem de "parabéns"? Eu me importo. E parabenizo a 99,9% dos meus amigos internautas. Mas confesso, sou vingativa e não escrevo nenhuma notinha para aqueles que não me mandaram nada no dia do meu aniversário. Tenho que ser sincera, não posso quebrar a proposta do post!

Todo mundo fica fofo em dezembro! Todo mundo faz planos para o ano vindouro! É hora de perdoarmos àqueles que nos ofenderam e de também nos perdoarmos por termos ofendido. É a legitimação do Pai Nosso! Será o fim de todas as nossas mágoas, afinal, de um dia pro outro, tudo vai mudar. Em primeiro de janeiro iremos nos esquecer daquilo que nos fez mal, do que não deu certo, das trapaças e dos trapaceiros, daquelas ferradas homéricas que levamos de algumas pessoas, até o dia 31 de dezembro. A fada-madrinha da esperança bate na nossa cabeça com sua varinha de condão e assim, enebriados com a magia dos contos de fada, deixamos nosso lado madrasta-vilão-viralata para nos incorporarmos em anjinhos celestiais a tocar harpas nos corações do próximo!

Por acaso devo deixar registrado que eu gosto do Natal, parcialmente. Agora, ultimamente, gostando cada vez menos. Queria dormir no final de novembro e acordar em janeiro. Mas não adianta, esta magia não funciona, temos que partir pra cima do mês mais conturbado do ano! Para mim, é um dia como outro qualquer. Gosto de ficar com meu marido e meus filhos, há anos tem sido assim. Só nós quatro. Natais não me trazem boas lembranças. Prefiro que passe rápido e que logo chegue o novo ano... Não que eu vá mudar repentinamente, isso é balela, é conversa para boi dormir! Ninguém muda por causa de uma data. A gente muda por conta própria, devido às situações que nos são impostas pela vida. Mas também há aqueles que não mudam nunca. Só mudam de cara - porque o tempo é implacável! Portanto, o conteúdo é o mesmo. 

Todo mundo faz promessas no mês de dezembro. Jura porque jura que "Daqui pra frente tudo vai ser diferente". Vamos mudar nosso comportamento, seremos mais gentis, falaremos menos, amaremos o próximo, perdoaremos mais, emagreceremos, estudaremos... Prometemos e sabemos que não vamos cumprir. Manteremos nossas vidinhas sossegadas, continuaremos a odiar as mesmas pessoas - porque embora você tenha prometido perdoar, você sabe que não vai conseguir e a pessoa também fará o mesmo com você - não sairemos da nossa zona de conforto. Aquele sujeito que um dia foi seu amigo e está bloqueado no seu facebook continuará bloqueado, afinal, a gente não é tããããõoo evoluído assim, não é mesmo? Se bem que, já há algum tempo, eu não tenho mais ninguém em bloqueio nos meus perfis virtuais. Concluí que, uma vez que você bloqueia você coloca um cadeado. E cadeados não abrem portas, não nos dão perspectivas. Cadeados nos fazem prisioneiros do nosso próprio cárcere mental, nos tornam incapazes de vislumbrar horizontes. Nos tornam soturnos, sombrios, escuros de alma! Por isso abri todos eles, soltei-os, me libertei!

E ademais, amar e odiar são sentimentos nobres. Impedir alguém de fazer contato com você não é estar indiferente, é estar amando ao contrário! Lembremos - precisamos purificar nossos corações, tomar um banho de sal grosso, dar um mergulho no mar ou  um banho de cachoeira. 2014 está com a mão na fechadura, vamos ficar sentados a espera de um milagre? O maior milagre é estarmos vivos! Então, que saibamos aproveitar esta passagem por aqui, que possamos realmente deixar de ser hipócritas e de fazer promessas que nunca serão cumpridas. Se não for possível fazer o bem ao próximo, que ao menos não façamos mal a ninguém. Viva e deixe viver. Se não é possível mudar da noite para o dia, faça um exercício intensivo de "como posso ser melhor para mim mesmo?" e coloque em prática, porque já, já é janeiro! E a gente vai ter onze meses para fazer tudo errado de novo, afinal, em dezembro estaremos preparados para a mudança das nossas vidas. Só que não (como costuma dizer meu filho caçula)! 

Att,

Christiane, a mesma.