domingo, 14 de dezembro de 2014

Tu te tornas . . .


Tu te tornas eternamente responsável pelas tuas tralhas afetivas, pelo último gole, segundo gole, segundo porre, ralado no joelho, esfolado no coração, um tiquinho de sensatez, todas as despedidas, tamanho do pódio e dimensão da queda, desculpas esfarrapadas e saudade desgastada.

Ita Portugal