terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

O Gênero dos Substantivos

Para disseminar conceitos errados e assassinar a língua pátria, a internet é imbatível! Inúmeras vezes eu já me peguei questionando onde o redator de uma determinada notícia haveria se formado. São tantos foras linguísticos que fazem minha face corar de vergonha! Alguma vez você já sentiu vergonha alheia? Sim, o tipo de vergonha que você sente por uma pessoa. Eu sinto isso toda vez que vejo com um texto mal redigido, com profissionais despreparados para a escrita e oratória. E eu, não erro nunca?Ah, erro! Mas procuro pesquisar muito antes de publicar qualquer bobagem! 

Ultimamente, o que mais tem me incomodado é o uso inadequado dos artigos na formação do gênero dos substantivos. É um tal de a bebê;  a moça andou descalça, etc., que resolvi postar sobre o assunto. Resumidamente, vamos lá!

Alguns substantivos são 

Biformes (a palavra é a mesma, acrescentando-se ao masculino a desinência -a ou um sufixo feminino):

o menino - a menina                     o senhor - a senhora                    
o mestre - a mestra                      o parente - a parenta                    
o avô - a avó                               o presidente - a presidenta (é correto)

Heterônimos ( formação do gênero por palavras diferentes)

o homem - a mulher                     o boi - a vaca                             
o genro - a nora                           o carneiro - a ovelha                    

Epicenos (para designar animais que só têm um gênero marcado pelo artigo):

a onça macho- a onça fêmea (onço não existe)            
o jacaré macho - o jacaré fêmea (não existe jacaroa)
a cobra macho - a cobra fêmea                                  

Sobrecomuns ( referem-se a pessoas que têm um só gênero, quer se refira a homem ou mulher):

a criança (menino ou menina)                   
o bebê (menino ou menina - NÃO EXISTE A BEBÊ)
 o neném (menino ou menina - NÃO EXISTE A NENÉM)
o cônjuge (marido ou mulher)

Comum de dois gêneros ( a palavra não muda, apenas o artigo é que define o gênero)

o colega - a colega                                o cliente - a cliente                       
o artista - a artista                                  o fã - a fã                                    

Apenas no masculino:

o eclipse - o dó (sinônimo de pena, não é tenho "uma" dó, é um dó) 
o champanhe (lembre-se que é um tipo de vinho, portanto, masculino)
o açúcar - o telefonema - o pijama - etc.

Apenas no feminino:

a pane -               a libido -                 a cal -               a alface, etc.

Bom, sugiro uma boa gramática para quem quiser se aprofundar no assunto. Alguns sites não são confiáveis... Toda vez que ler por aí: "Fulana andou descalça pela areia da praia", pode acreditar - ela estava sem calça. Sim, pois o correto é dizer "ela" andou descalço (sem o calço, de calçado), relativo a caminhar sem chinelo, sapato, bota, tênis, o raio-que-o-parta! Descalça - prefixo des relativizando ausência de elegância, humanidade, ânimo, etc. (deselegância, desumanidade, desânimo). Descalça? Nunca!

Observações finais: 
  • personagem é aceito tanto no feminino (a personagem) quanto no masculino (o personagem). Personagem vem de persona (pessoa)!
  • Grama no sentido de peso é SEMPRE no masculino - quinhentos gramas de mussarela e não quinhentas gramas de mussarela!
  • Metade de hora é meia e não meio: meio dia e meia e não meio dia e meio!

Depois quero postar sobre o número dos substantivos, que também É UÓ!