domingo, 20 de maio de 2012

Bartolomeu Campos de Queirós

O ilustre e consagrado escritor mineiro Bartolomeu Campos de Queirós foi homenageado na Bienal do Livro/2012 com um espaço que leva seu nome. Um autor de suavidades, levezas, transparências. Nos deixou cedo, aos 67, em janeiro deste ano. Seus livros são de um encanto sublime, trabalhar seus textos com os alunos é um privilégio e uma viagem ao recanto dos sábios...


“As palavras são portas e janelas. Se debruçarmos e reparamos, nos inscrevemos na paisagem. Se destrancarmos as portas, o enredo do universo nos visita. Ler é somar-se ao mundo, é iluminar-se com claridade do já decifrado. Escrever é dividir-se. Cada palavra descortina um horizonte, cada frase anuncia outra estação. E os olhos, tomando das rédeas, abrem caminhos, entre linhas, para viagens do pensamento. O livro é passaporte, é bilhete de partida”.


"Sou frágil o suficiente para uma palavra me machucar, como sou forte o bastante para uma palavra me ressuscitar."



25.08.1944 / Pará de Minas
16.01.2012 / Belo Horizonte