terça-feira, 15 de maio de 2012

Carolina Dieckmann




O episódio do vazamento das fotos íntimas de Carolina Dieckmann abafou o caso da CPI do Cachoeira. Tomou conta dos noticiários de todas as mídias. Foi pauta exclusiva no Jornal Nacional de ontem. Eu acho que é muito holofote sobre uma invasão de privacidade, mas que ao mesmo tempo serve de alerta para milhões de usuários anônimos que se portam de maneira ingênua frente ao avançado sistema da rede mundial de computadores. Pessoas mal intencionadas sempre estão à espreita, aguardando por uma brecha para invadir seu computador e roubar-lhe seus arquivos, suas senhas de banco, expor sua vida para o mundo. 

Pelo que eu entendi na entrevista dada ontem pela atriz ao JN, ela preencheu um formulário que recebeu via e-mail, mandando todos os seus arquivos para o hacker. Ela foi ingênua, muito! Um golpe na vaidade da não-simpática-carismática artista. Houve quem tripudiasse da situação, como a infeliz da Luana Piovani, que não se furtou de rir da desgraça alheia, com piadinhas de mau gosto, como é da sua índole. Coitada, pobre mulher bonita que precisa fazer barraco na internet para se manter na mídia. 

A polícia civil agiu tão rapidamente que já identificou todos os responsáveis pelo vazamento das tais fotos que foram, inclusive, colocadas em sites pornográficos. Assim fosse a ação dos policiais em todos os casos de bandidagem, sejam reais ou virtuais. O serviço de inteligência funciona quando é do seu interesse e se for dar ibope. Parabéns aos detetives "cibernéticos" pelo feito de chegar aos bandidos ladrões e chantagistas. E talvez, esse episódio sirva para que a linda Carolina repense suas atitudes frente ao público e a sua própria vida. Como diria Guimarães Rosa: "Quem muito se evita, se convive".