terça-feira, 26 de maio de 2009

Assunto Espinhoso

Saiu no site do terra (25.5.09):


LIMINAR DO TJ SUSPENDE COTAS EM UNIVERSIDADES DO RIO.


[...] A ação contra as cotas para negros e estudantes de escolas públicas foi proposta pelo deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP). O parlamentar entrou na Justiça com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o regime. A decisão definitiva sobre o assunto ainda será analisada pelo Órgão Especial, mas a liminar é suficiente para suspender os efeitos da lei.



Há muito tenho tido vontade de debater sobre este assunto tão espinhoso em nossa sociedade. Deixei alguns comentários na página da notícia, o debate foi intenso. Houve quem defendesse o sistema de cotas e quem as condenasse, como é o meu caso.

Dentre outras coisas, posso resumir que cotas para negros e estudantes de escola pública são injustas. Primeiro porque nós não somos um povo caucasiano, somos miscigenados! Segundo, estão querendo criar uma segregação racial no Brasil, um povo que sempre conviveu de modo pacífico com a mistura de cores (raça para mim só existe uma: a humana!). Querem implantar um apartheid! Terceiro, já é de conhecimento de boa parte da população que as escolas públicas têm usado a progressão automática do aluno. Ou seja, ele "passa" de ano sabendo ou não. Imagine o nível que as universidades públicas vão alcançar! Querem nivelar por baixo!

Estão tentanto tapar o sol com a peneira. Estão querendo que as universidades públicas paguem o pato por séculos de desigualdades sociais. Querem impor uma mudança de cima pra baixo e não o contrário! É na base que se tem de haver mudanças. Mudanças estruturais, políticas, sociais. Tem que se investir na educação infantil, no ensino fundamental e no médio (gente, pelo amor de Deus, não se fala mais primeiro e segundo graus - esses termos caíram em desuso desde a nova LDB de 1996!).

Eu não sou rica, estudei a vida inteira em escola pública e passei no vestibular da UFMG sem sistema de cotas! Ralei demais para chegar onde estou hoje: ter uma casa própria, um carro e filhos estudando na escola particular. Isso é ser rico? Para alguns demagogos, sim. Tem gente que só quer tirar proveito da situação, quer dar uma de coitado, não quer estudar! A escola pública é de péssima qualidade! As famílias, quer dizer, a maioria delas, estão se lixando para o que acontece com seus filhos dentro da escola. Querem é receber o bolsa-família! Aí, eu e meu marido damos um duro danado para oferecer aos nossos garotos um ensino melhor, pagamos escola duas vezes - primeiro pelos impostos destinados à educação gratuita que eles não frequentam, segundo, pagamos a uma instituição particular de ensino. Quando é chegada a hora deles fazerem vestibular, vão contar com menos vagas porque alguém de mente muito pequena acha que o menino lá da favela, branco ou negro, tem mais direito do que os meus, e acham que os negros, sejam ricos ou pobres, são inferiores (sim, esta é a mensagem) e não têm capacidade de passar pelos próprios méritos, necessitando de vagas pré-determinadas!

Ah, gente! Que tristeza! Quanta hipocrisia destes políticos! E as pessoas que não têm conhecimento de causa e ficam a propagar infâmias dizendo que federal é pra rico! Ser classe média é ser rico? Rico, rico de verdade, não disputa vaga em federal, não. São enviados pelos seus ricos papaizinhos para o exterior! É por isso que o Brasil não vai pra frente, não vai mesmo. É um povo que pensa pequeno e age pequeno. São pessoas que não têm nem consciência ecológica, que lavam calçadas com a mangueira a todo vapor, que jogam lixo nas ruas, que despejam entulhos nas vias públicas, que entopem bocas-de-lobo. Esse é o nosso povo! Isso somos todos nós. E agora vão criar dois brasis: o dos brancos (?) e dos negros (?) num país de mulatos!