quarta-feira, 12 de junho de 2013

Dia dos Namorados - O Início

Christiane e Humberto comemoram o dia dos namorados desde 1986. 

Humberto aos 20 anos e Christiane aos 16

É certo que no dia 12 de junho daquele ano, nós ainda não havíamos começado a namorar, o que veio a acontecer 16 dias depois, eu uma noite fria, quando fomos a uma festa junina. A nossa história é engraçada, porque eu já conhecia todos os irmãos dele - Cleilton, Marcos, José Alberto e Sânzio - e das mulheres somente a Ana e a Angélica. Apesar de morarmos perto e estarmos sempre em contato, nenhum deles me despertou interesse além de amizade. Na época, Beto morava em Barbacena, servia a aeronáutica e vinha muito de vez em quando ver seus familiares. Quando sua mãe veio para Belo Horizonte, as visitas dele passaram a ser mais frequentes. E então, um dia ele apareceu na minha casa com um de seus irmãos, o Cleilton. Acredito que isso foi em março, porque me lembro de ter estado comprometida até abril daquele ano, enfim. A minha surpresa foi tamanha - por onde andava, até então,  aquele "quinto elemento" que eu não tivera ainda a chance de conhecer? E ele, desinibido como era, logo veio puxando assunto, e eu achando tudo aquilo muito engraçado. Minha mãe se encantou por ele - "Chris, você viu que gatinho o irmão dos 'meninos'?" Mamãe fez as honras de um cupido, falava do Beto com tanta empolgação, dizia que ele era bonito, educado, de boa família. Foi uma época muito mágica! Naquele tempo, nos comunicávamos por cartas. Quantas foram enviadas para a Epcar, hein! Todas guardadas, até hoje. As que eu mandei e as que ele me retribuiu. Depois que saiu de Barbacena, foi morar em Juiz de Fora para fazer o curso de sargento, na ESA, em 1987. Permaneceu lá por pouco tempo, pediu desligamento e veio para Belo Horizonte. Aí ficou mais fácil para namorar. De perto é bem melhor!

Quando voltamos o olhar para um foco, alguma coisa acaba acontecendo. E não é que de tanto ouvir elogios sobre o rapaz, a gente acabou combinando de sair um dia?! A minha amiga Cristiane Rungue participou de todo esse processo. Foi ela quem me deu a ideia de chamá-lo para as barraquinhas que estavam acontecendo naquele mês tão festivo! E lá fomos nós... E cá estamos, 27 anos depois, relembrando os áureos tempos. Já não trago comigo as bochechas adolescentes e nem ele a sua vasta cabeleira. Mas o que isso importa? O tempo é implacável com todos. Oito meses depois do começo do nosso namoro, perdemos o Cleilton. Ele que me apresentou seu irmão do meio, ele que era o tio preferido da Marília... Tão pequenina, xodó da casa. Entretanto, conseguimos arrumar forças para prosseguirmos, pois a vida não para! E assim teve início a nossa história. Não foi por acaso que Humberto estampou o blog no mês de junho. De tantas pessoas que passaram pela minha vida, ele é o único que continuou do meu lado acima de qualquer tempestade. Beto é o pai dos meus filhos, é o meu amigo, é o meu amor!

Seguem alguns links de músicas que fizeram sucesso em 1986 e nos fazem relembrar de como tudo começou...

Glory of Love
Take on Me
Invisible Touch