domingo, 15 de setembro de 2013

Tânia

Fazia tempo que a gente não se via. A última vez foi quando comemorei 40 anos, ocasião em que tirei esta foto. A Tânia apareceu em minha vida de uma maneira muito inusitada. O namorado dela, Paulo, estudava com o meu marido na UFMG e ficaram muito amigos. Então, quando a Thaís nasceu, eles nos convidaram para padrinhos. Lembro-me como se fosse hoje da primeira visita que fizemos à linda menininha, nossa afilhada. Era abril de 1990. Muitos almoços, a festa do batizado, os aniversários, ela gostava muito de estar conosco. Entretanto, o tempo vai moldando as relações, outras coisas aconteceram na vida dela e também na minha. A gente perdeu o contato por motivos que não cabem ser ditos, sem brigas, sem mágoas, apenas nos distanciamos, mas eu nunca deixei de pensar nela. Hoje foi um dia atípico pra mim, estávamos no aeroporto aguardando pelo embarque do Matheus, quando meu celular tocou. Um rapaz chamado Pedro se identificou, dizendo que era o namorado da Thaís. Boa coisa não poderia ser... E dessa forma, fiquei sabendo que a Tânia havia nos deixado, em uma tarde ensolarada de domingo. Ela se despediu da vida em casa, ao lado da filha, enquanto eu me despedia do meu filho, minutos antes de ele alçar um grande voo - conhecer um outro continente, morar em um país distante. Quase perdi as forças, fiquei pensando no que eu poderia ter feito por ela e não fiz. Não tive tempo, não sabia que estava doente. Pois é, amiga. Você se foi. Ficarão boas lembranças e agora, uma vez que madrinha representa a mãe em sua ausência, Thaís poderá continuar contando ainda mais comigo... Sempre. Não a deixarei só. Ela e o Luizinho ficarão bem. Sentirei saudade... Sempre que eu ouvir Innocence, vou me lembrar de você.


Tânia Faria Rabello
*13.06.1958
*15.09.2013