sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Adagas

Estava loucamente à procura deste poema. Custei a encontrá-lo e para mim, ele tem um sabor especial.



Há os que na vida
Se sentem confortáveis
Como se a vida fosse
Uma velha conhecida
Uma vitrine eternamente posta

Eu por mim sou daquela
Tribo errante
Dos que já nascem
Com veias cortadas

Atravessar planetas e horizontes
E domesticar adagas

[Roseana Murray]