quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Dois Momentos Poéticos

O Amor

Amo o amor que se reparte

em beijos, leito e pão.

Amor que pode ser eterno,

mas pode ser fugaz.

Amor que se quer libertar

para seguir amando.

Amor divinizado que vem vindo.

Amor divinizado que se vai.

Partida
Nós, o que pereceremos, tocamos o metais,

o vento, as margens do oceano, as pedras,

sabendo que seguirão, imóveis ou ardentes,

e eu fui descobrindo, dando nome às coisas:

foi meu destino amar e despedir-me.


[Pablo Neruda]