domingo, 3 de outubro de 2010

Amigos


Há dias em que eu fico pensando... Pensar é uma ação que muito me agrada. Aí eu penso em uma coisa, penso noutra... Tiro algumas conclusões, acho até que algumas muito absurdas! Por exemplo, há pessoas e pessoas. Gente que é bacana e você gosta assim, de cara. Gente que é chata e você tem que suportar por motivos alheios à sua vontade. Gente que vem e gente que vai.

Certa vez li uma frase que me chamou atenção:

"Parei de tratar como prioridade aqueles que me tratam como opção!"

Depois disso, acho que não preciso falar muito. É a pura verdade. Existem os pseudo-amigos e os amigos-do-peito. Os falsos são aqueles que te procuram quando é para interesse próprio, como pedir algum favor, vender algum produto, mas que não se lembram do dia do seu aniversário, declinam de todos os seus convites, têm notavelmente inveja de você e da vida que você conquistou, querem aquilo que é seu. Essas pessoas, via de regra, um dia acabam por dar fim à falsa amizade, pois ninguém sustenta uma mentira por muito tempo. As máscaras caem, mais cedo ou mais tarde. E, quando isso acontece, às vezes você nem entende, se entristece, se culpa. Aos poucos vai percebendo que nunca foi importante para aquelas pessoas. Conclui, enfim: "Foram tarde"!

Mas... E os amigos de verdade? Ah, esses aí estão para todos os momentos. Você nem precisa dizer nada, eles sabem só pela expressão do seu rosto se você está triste ou alegre. Apenas pelo tom da sua voz, pressentem o que você está por dizer. Mesmo atribulados de trabalho, com a casa, filhos, cônjuges, não deixam de se lembrar ao menos de dizer um "oi". A esses amigos o meu eterno e incondicional apoio. Vida longa à verdadeira amizade!

Por Christiane B.