segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Panis et Circensis

Meus pêsames à nação brasileira. Depois de uma massante e pouco significativa campanha eleitoral, estamos à volta com mais um circo armado. Ziguezagueando pelos principais portais da internet, posso comprovar com um espanto cinematográfico de quem acabou de assistir ao pior dos piores filmes de terror, o descaso político de alguns milhões de eleitores.

O cenário de Brasília servirá de plano de fundo para uma das mais bizarras composições do legislativo federal. Que povo é este que elege, com mais de um milhão de votos, o palhaço Tiririca? E na rebarba, o ex-bbb Jean Wyllis e o goleiro Danrley? Palhaçada pouca é bobagem. Isso é uma forma de ridicularizar as instituições ou um protesto tão idiota quanto seus candidatos? Por "Zeus", quanta ignorância! Acreditar em mudanças elegendo cidadãos oportunistas e falidos nas suas bases? Ainda tivemos como candidatos os irmãos do KLB, o Renner da dupla sertaneja (não o dono do logotipo da loja), Moacyr Franco, Popó, Simony, mulher Pêra, Maguila, Vampeta, ah, chega! É muito para meu intelecto. Esses últimos, ao menos amargaram uma derrota! Contudo, as assembleias estaduais contarão com a presença sui generis de Myrian Rios (ex-global e ex-Roberto Carlos), Romário e Bebeto do tetra, o ex-jogador Marques do Galo Mineiro...

É como eu disse, essas pessoas estão sem trabalho e fora da mídia. Aliás, muitos se beneficiam de estar sempre em evidência através de seus escândalos nesta própria mídia. Encontram brechas e eleitores analfabetos funcionais, aproveitam-se do exercício da democracia e tornam-se excelentíssimos deputados! Depois vem gente batendo no peito dizendo que não vota em "terrorista" (nem ao menos sabem a História do Brasil), mas votam em palhaços, profissionais e amadores. Mas não tem problema, a lona já está armada e há lugares para uma imensa plateia!

Só para terminar: a eleição presidencial foi para o segundo turno não por mérito dos tucanalhas e sim porque a Marina cresceu e apareceu. Bem-feito para a Dilma e seus assessores. Bem-feito para os marqueteiros que subestimaram a força da candidata ambientalista e, a fim de evitarem um confronto entre a "sargentona" e o Serra, focaram e lançaram os holofotes sobre a não menos oportunista e  presidenciável do PV. Ela deixou o cargo de ministra bem mais de olho na vaga à presidência do que por ideiais amazônicos.  E ainda tiveram que aguentar o Plínio dizendo certas verdades que só são ditas por quem não tem medo de perder (uma vez que já estava perdido mesmo). Aprenderam a lição? Façam o para-casa direitinho agora, senhores petistas e aliados. Provem que estão limpos no caso do escândalo da Casa Civil ou então a VEJA (partido político que tem quatro letras e um tucano no meio) irá disseminá-los com suas capas "polvorosas". Acreditem, os tentáculos da revista-político-partidária vão além das fronteiras do bom-senso. Ainda vivemos em um país que acredita em folclore! Haja vista que a "Cuca" não venceu a eleição por causa do "Curupira". Talvez os brasileiros elejam uma "mula-sem-cabeça", pois assim, não haverá cérebro pensante. Neste país que vota com o humor e o descaso com a História, quem ganha, certamente, é o "respeitável público"! Hasta la vista!

Por Christiane B.