domingo, 31 de outubro de 2010

Dia Histórico

31 de outubro de 2010 - data em que a maioria dos brasileiros decidiu eleger a primeira presidente desta nação! Dilma, a você desejo um caminhar iluminado, pois muitos serão os percalços, as mandingas, os desaforos, as ofensas pessoais, tudo que rege a vida de uma pessoa pública. Mas você tem o apoio da maioria. Sou orgulhosa por ter eleito uma mulher para presidir o meu país! Minas Gerais disse NÃO ao elitismo paulista!





No início você era uma desconhecida. Aos poucos, foi sendo inserida na mídia, sempre vista ao lado do presidente Lula. Começaram então a enxovalhada de mensagens eletrônicas difamando sua pessoa. Chamaram-na de terrorista, assaltante de banco, assassina de criancinhas. Colocaram fotos suas em e-mails como uma ex-presidiária. Nunca conheci os autores destas mensagens. Nem sequer a fonte. Nada. Boatarias. Todas essas atrocidades fizeram você perder no primeiro turno. Seus assessores erraram ao evitar seu confronto com José Serra nos debates televisivos. E jogaram os holofotes sobre a simpática e ambientalista Marina Silva. O PSDB entendeu que esse era o caminho para levar seu candidato ao segundo turno. E ele privilegiava Marina nos debates, ofuscando a sua participação, presidenta! Foi um tiro no pé. Chacoalhados com o recado dos eleitores indecisos, pois o voto na Marina foi um voto de protesto, sua campanha tomou outros rumos e você finalmente mostrou a que veio. Passou a rebater as mentiras que inventaram a seu respeito, cobrou imparcialidade de tempo nos debates, haja vista a bronca que deu em William Bonner por ter-lhe tirado alguns segundos da sua resposta. Tocou na ferida sobre as invencionices, o velho discurso do aborto, que já havia derrotado Lula em uma campanha, voltou com força total, tentando polemizar sobre um tema que é de foro íntimo. O presidente não manda na vontade e na decisão de uma mulher que queira tirar seu filho. Existe uma legislação? Sim. Mas com lei ou sem lei, ninguém, nem o Papa que entrou de gaiato na história, pode decidir por mulher alguma o que ela faz ou não do seu corpo. Acho, inclusive, apesar de ser católica, que Bento 16 deveria cuidar dos escândalos de sua Igreja, apurar e punir os casos de pedofilia de seus clérigos. Já foi o tempo em que política se misturava com religião.

Hoje, Dilma Rousseff, você levou esse pleito. Não vai ser fácil governar em um país que tem Veja, Rede Globo, Folha de São Paulo, Estadão, dentre outros setores midiáticos contra sua pessoa. Já li, inclusive, pessoas desejando que o câncer pelo qual você foi acometida, volte e te extermine. Não acredita? Só ler os comentários do portal terra. Está tudo lá... O mais triste, presidente Dilma, é que aqueles que são contrários à sua eleição, continuem a desrespeitá-la. Os dizeres maldosos ainda circulam, e agora com força total. Estão mordidos, não aceitam que pobre ande de avião, que tenha carro zero, casa própria, lazer, estudo. É muito difícil para alguns setores da classe média admitir que brasileiros oriundos da pobreza consigam ter êxito, fazer carreira, estudar seus filhos em escolas particulares, adquirirem imóveis, entupir os saguões dos aerportos. Para essas pessoas, a sua vitória é a derrota dos privilégios deles. Que bom, o país está mudando, os brasileiros não se deixam mais enganar por mentiras e balelas. Toda essa campanha difamatória não passou de trololó. Parabéns, presidente Dilma Rousseff. Este é o depoimento de uma eleitora feliz e confiante em dias melhores!

Christiane B.