quarta-feira, 23 de julho de 2014

João , Rubem , Suassuna


Seis dias, três perdas. Mentes brilhantes, arautos das boas novas, porta-vozes dos nossos sonhos, ícones da nossa literatura. Literatura maiúscula, que nesta semana perdeu grandes nomes de sua arte! João Ubaldo Ribeiro e suas inesquecíveis histórias, baiano de Itaparica, acostumado com a beleza do mar... E então criou, dentre tantas outras obras,  O sorriso do lagarto. Quem não se lembra da lindíssima minissérie protagonizada por Vera Fisher e Carlos Alberto Ricceli? Eu me lembro! 

Rubem Alves. Um ponto final. Um luto que mora dentro de mim desde o último dia 19. Uma incredulidade por pensar na sua ausência física. Um homem cujas letras adentraram em minha vida e modificaram tantos pensamentos... Ele me incentivou a criar um jardim. No último andar de um prédio, na selva de concreto, eu pedi para construírem uma jardineira na varanda do apartamento. Disseram que perdi espaço. Não, eu não perdi espaço construindo uma jardineira na sacada. Eu ganhei um cenário, eu ganhei filhotes... Como os bichinhos, as plantinhas também dão cria! E dão vida e colorem o meu dia a cada manhã. Foi por ele, somente por ele que plantei jardins por fora, para que pudesse andar por dentro de mim! Rubem, o mineiro que adorava ipês amarelos.

Ariano Suassuna imortalizou João Grilo e Chicó. O Auto da Compadecida é um dos melhores textos teatrais do nosso acervo literário e uma das mais impecáveis produções televisivas - o que não é uma tarefa fácil, transferir letras para vídeo. Suassuna, paraibano, nos mostrou os flagelos da seca nordestina, os capangas sertanejos, a corrupção na igreja, o povo simples, a fé. Nos fez pensar em um Jesus diferente e nos mostrou a força intercessora da mãe de Cristo. Falou do perdão, da redenção e da segunda chance, uma vez, humanos que somos, temos direito a ela. 

E, como diriam os Beatles, hoje eles estão in the sky with diamonds. Brindando por terem sido tão especiais, olhando por nós e sorrindo... Deuses da Literatura brilhando no Olimpo!


"Já estou chegando, ou já cheguei, à altura da vida em que tudo de bom era no meu tempo."
João Ubaldo Ribeiro
*23.01.1941
*18.07.2014


"Deus existe para tranquilizar a saudade."
Rubem Alves
*15.09.1933
*19.07.2014


"Mas eu acho a vida um espetáculo belíssimo!'
Ariano Suassuna
*16.06.1927
*23.07.2014