quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Dexter


Dexter Morgan. Esse é o nome do melhor serial killer de todos os tempos da história das séries de tv americanas. Há exatos 30 dias chegava ao fim o último episódio da sétima temporada de Dexter (2006). Bom, para quem nunca assistiu à série, vai uma dica: Dexter é imperdível para os admiradores do gênero thriller de dramaturgia. Para quem já é fã, Dexter Morgan dispensa maiores apresentações. Filho adotivo de um policial, o garoto apresentava, desde muito cedo, um comportamento atípico. A mãe biológica de Dex era viciada em drogas e fora assassinada pela máfia do narcotráfico de Miami. A atrocidade aconteceu na presença de Dex, então com três anos de idade, e de seu irmão Brian. Deixados por dias em um contêiner,  sentados na poça de sangue da jovem mãe, com fome e com medo, os garotos foram, enfim,  resgatados. Dex ficou com a família de um policial e Brian foi para uma instituição de menores. Na fase adulta eles se reencontram na primeira e mais incrível de todas as temporadas. 

A construção desse personagem foi magistralmente arquitetada por Michael C. Hall, o ator que dá vida ao analista de sangue do departamento de homicídios da polícia de Miami. Morgan trabalha no mesmo departamento da sua irmã Debra, intepretada por Jennifer Carpenter. Eles chegaram a se casar em 2008, mesmo ano em que Michael descobriu um câncer linfático. Dois anos depois, o casal anunciou o fim da relação que teve início nos sets de filmagem. Continuaram a contracenar com naturalidade e não deixaram que o infortúnio de suas vidas pessoais interferissem em suas representações. Totalmente curado da doença, Michael Hall seguiu brilhando nas temporadas seguintes ao seu tratamento. Mesmo durante o período mais difícil, ele não abandonou as filmagens. Um tanto quanto abatido na quinta temporada, retornou mais vigoroso para a sexta e esteve maravilhoso na temporada de 2012.

Neste ano, a série Dexter chegará ao fim. Como será que os roteiristas farão o desfecho desse vilão adorável? Como pode um personagem com transtorno de caráter cativar um público tão grande? A página oficial do facebook está perto de atingir a marca de 13 milhões de fãs, índice superior a Lost que, para mim, é a melhor de todas as séries que já vi até hoje. Será que Dexter será redimido? Ou para ele está programado o final de todos os grandes vilões - a morte? Ainda não sabemos, mas de uma coisa tenho certeza: jamais me esquecerei de Dexter e sua adorável Rita; Debra, Masuka, Angel, La Guerta e Harry, o pai "grilo falante" onipresente e fundamental para os questionamentos sobre conduta e ética moral. 

Previously on Dexter...