sábado, 19 de janeiro de 2013

Elis

"Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos; ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais."


Diva, musa, estrela e maior intérprete da música popular brasileira. Hoje faz 31 anos que Elis Regina partiu. E como ainda é moderna e contemporânea essa mulher que morreu jovem, aos 36 anos, deixando três filhos pequenos, dos quais vemos atualmente em Maria Rita uma expressividade e talento genuinamente herdados. Sucesso na trilha sonora da novela Salve Jorge com a sensualíssima Me deixas louca, Elis nos faz recordar dos anos de ouro nos quais consagrou grandes compositores. Só para citar alguns nomes, entraram para o hall de sua discografia cantores como Edu Lobo, Geraldo Vandré, João Bosco, Belchior, Ivan Lins, Milton Nascimento, Djavan, Renato Teixeira, Chico Buarque e tantos outros expoentes estelares da MPB. Se estivesse viva, Elis Regina, a Pimentinha (apelido alcunhado por Vinícius de Moraes) teria 67 anos. Fica a saudade e o pesar de a termos perdido tão cedo. 

"Eu quero uma casa no campo onde eu possa plantar meus amigos, meus discos, meus livros e nada mais."

"Sou caipira, Pirapora Nossa Senhora de Aparecida... Ilumina a mina escura e funda o trem da minha vida."

"Dei pra maldizer o nossa lar, pra sujar teu nome te humilhar e me vingar a qualquer preço, te adorando pelo avesso pra mostrar que ainda sou tua."

"É pau, é pedra é o fim do caminho."

Elis Regina Carvalho Costa
* 17.03.1945
* 19.01.1982